“Deficiente visual, não foi torturado na cadeia de Canarana.” afirma diretor

 CANARANA – Após ser divulgada pelos principais sites de noticia do país sobre a possível tortura de um deficiente visual na cadeia pública de Canarana, a reportagem do Canarana News procurou o diretor do órgão, Dr. Andrei Melo para obter mais detalhes. De acordo com as informações cedidas pelo diretor, a prisão do suspeito de praticar o crime de furto qualificado em Ribeirão Cascalheira, o deficiente visual U.S.L. e que foi encaminhado para a cadeia pública de Canarana, foi preso em situação de flagrante. O suposto abuso de autoridade empregado pelos policiais e as sessões de tortura, ocorreram durante sua prisão em Ribeirão Cascalheira, e não na cadeia pública de Canarana como foi citado nas matérias. “Todo suspeito que é preso e que chega até a cadeia, só é encaminhado para cela após apresentação de Laudo Pericial(Exame de Corpo Delito) aos agentes carcerários. Nesse caso específico, o laudo não foi realizado devido a 3 fatores;o horário em que ele chegou em Canarana, que foi por volta de 22:00; os exames só serem realizados na cidade vizinha de Água Boa; e ao ser indagado pelos agentes carcerários sobre a lesão no rosto, o mesmo declarou que sua lesão era resultado de um acidente doméstico. Como o encaminhamento vinha de uma outra cidade, achamos por bem efetuar os procedimentos de forma provisória até o dia seguinte onde seria feito o exame. Após a sua detenção, U.S.L, relatou que realmente ele havia sofrido as lesões devido a tortura empregada pelos policiais e só não havia dito antes com medo da reação dos mesmos. Portanto se houve algum tipo de abuso, agressão ou tortura não foi na cadeia de Canarana.” Afirma o diretor. Seguindo determinação judicial impetrada pela Defensora Pública, Maria Lucia Prati,que ingressou com pedido de relaxamento de prisão de U.S.L, a sua soltura foi imediata, informou Andrei.

Responder

comment-avatar

*

*