ABATE CLANDESTINO DE GADO CONTINUA EM BARRA DO GARÇAS

O abate clandestino de gado continua sendo um problema sério no interior de Mato Grosso. Mesmo com o pedido para evitar o consumo de carne sem procedência, várias cidades mantêm matadouros ou abatem gado em fazendas e comercializam no balcão de açougues e até mesmo supermercados.

O vereador de Barra do Garças Sávio Carvalho denunciou três pontos de abate clandestino que estariam funcionando no município. Oito vacas teriam sido abatidas num antigo matadouro próximo à escola agrícola; outros abates foram no bairro Bosque da Saudade e numa fazenda de conhecido pecuarista.

“Eu denunciei esse fato para fiscalização da prefeitura e para minha surpresa quem me ligou me dando bronca foram os abatedores”, acrescentou Sávio. O parlamentar deixou claro que vai procurar o promotor Marcos Brant para denunciar esse fato porque o consumo de carne clandestina coloca em risco a saúde pública.

Sávio chega a afirmar que metade da carne consumida na cidade é clandestina. O vereador é proprietário de um frigorífico em Nova Xavantina e acrescenta que indústria frigorífica também é prejudica com abate clandestino.

“Se a prefeitura está omissa nesse assunto, espero que o Ministério Público peça explicações aos fiscais porque não estão checando as denúncias de abate clandestino”, disparou Sávio.

Com 55 mil habitantes, Barra tem dois frigoríficos funcionando, todavia operam em escala internacional. Parte da carne inspecionada vendida no município é procedente de Nova Xavantina. As cidades de Pontal e Aragarças-GO estão com o mesmo problema de comercialização de carne clandestina, completou Sávio.

Ronaldo Couto via chocolate

Responder

comment-avatar

*

*