Acadêmicos de Economia e Agronomia participam da segunda etapa do Circuito Universitário

 As características dos mercados argentino, chinês e norte americano foram temas das palestras na Universidade Federal de Mato Grosso

 Ascom Aprosoja

 O Circuito Aprosoja Universitário reuniu cerca de 200 pessoas na Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT). Acadêmicos de Agronomia, Economia e de pós-graduação em Agricultura Tropical lotaram o auditório Batatão, da Faculdade de Agronomia, Medicina Veterinária e Zootecnia (Famevz), para ouvir as palestras do executivo chinês Lin Tan, do representante da Associação dos Sojicultores de Illinois (Isa, na sigla em inglês), Mike Maroon, do representante da Associação Argentina de Consórcios (AACREA), Alejandro Vejrup e do diretor executivo da Aprosoja, Marcelo Duarte.

 Esta é a segunda vez que o Circuito Aprosoja Universitário foi realizado e a adesão tem sido cada vez maior. Na abertura de sua palestra, o chinês Lin Tan, que também é professor universitário, ficou feliz em ver o interesse dos acadêmicos. “Sou formado em agronomia e economia, essas duas ciências se completam. É um prazer partilhar o que aprendi com esses alunos que estão fazendo dois excelentes cursos”, disse o executivo.

 Acadêmico do 3º semestre de Economia, o jovem Ricardo Pereira, de 20 anos, destacou a importância de conhecer sobre os detalhes do mercado interno da maior potência mundial. “Ouvir de um chinês como se comporta a movimentação financeira de lá foi muito interessante. Fiquei alegre em saber que mesmo com a queda no crescimento do PIB da China, o país vai continuar importando nossa soja em grande escala”, destacou.

 Para Vitor Lopes, do 4º semestre de Agronomia, conhecer a produção e a demanda mundial de alimentos é importante para a sua formação acadêmica. “É extremamente interessante entender como funciona a produção em outros países. Me interessei pelos números de produção e de forma especial com o baixo custo argentino para produzir grãos”, afirmou.

 A visita do Circuito Universitário à UFMT coincidiu com o retorno às aulas e início do semestre letivo 2013/1. Caloura no curso de agronomia, Mariah Albuquerque disse que após ouvir as palestras está ainda mais entusiasmada com a escolha do curso. “O Circuito para mim foi uma excelente recepção. Achei tudo muito interessante, pude sentir a realidade do mercado mundial e já imagino que seja nessa área que pretendo trabalhar quando me formar”, afirmou a universitária.

 A bióloga e pós-graduanda em Agricultura Tropical pela UFMT, Ana Carla Stieven, também participou do Circuito. De acordo com ela, os assuntos apresentados vão ajudar na defesa de sua tese. “Encontrei aqui o que procurava. Estou escrevendo sobre a importância da microbiologia no solo para aumento de produtividade. E é claro que precisamos produzir cada vez mais”, finalizou.

 De acordo com o coordenador da pós-graduação, Ricardo Amorim, além  da transferência de conhecimento, a parceria com a Aprosoja é essencial. “Nós temos interesses em comum, e trabalharmos juntos é, sem dúvida, uma troca de experiência. Nossos alunos aprendem mais com atividade assim”, afirmou o professor.

O gerente de Planejamento da Aprosoja, Cid Sanches, comemorou o sucesso da extensão do Circuito. “Ficamos muito felizes com a participação dos universitários. Daqui para frente pretendemos dar continuidade com o Circuito Universitário. Acreditamos que o contato com as faculdades é produtivo, o que possibilita a criação de novas parcerias e programas, assim como o AgroCientista, que neste ano teve recorde de inscrições”, lembrou Sanches.

AgroCientista – É um programa desenvolvido pela Aprosoja desde 2011, por meio dele Comissões Temáticas formadas por profissionais das instituições envolvidas e produtores financiam projetos de mestrado e doutorado. O auxílio é concedido pelo Fundo de Apoio à Cultura da Soja (FACS), com acompanhamento da Aprosoja.

Responder

comment-avatar

*

*