Acusados de torturar dependentes químicos de Clínica de Reabilitação são presos em Cáceres

Assessoria/PJC-MT
Dois homens, acusados de mal tratar os pacientes de uma clinica de reabilitação para dependentes químicos, foram presos em flagrante, pela Polícia Judiciária Civil, na segunda-feira (30.12), em Cáceres (208 km a Oeste). Os acusados Cleiber Antonio da Silva e Jeferson Rodrigues de Souza, responsáveis pelo Centro Terapêutico União, foram autuados em flagrante pelo crime de tortura.
A ação da Delegacia Especializada de Defesa da Mulher de Cáceres com apoio de policiais do Centro Integrado de Segurança e Cidadania (Cisc) aconteceu após denuncia anônima de que os responsáveis pela Clinica, situada no bairro Jardim das Oliveiras, torturavam os pacientes, sendo possível escutar vários gritos de socorro vindos do local.
Em diligências na propriedade, policiais confirmaram a denúncia de que o dono da Clínica, Cleiber e que o coordenador do estabelecimento, Jeferson, praticavam torturas diárias contra os pacientes. Segundo declarações dos internos, os acusados utilizavam métodos violentos no tratamento, como máquinas de choque, algemas, segurar garrafas descartáveis com gelos, capinar sobre o formigueiro, arrancar tocos, gelo nas partes intimas e toalhas molhadas, além de obrigar a ingestão de remédios fortes que os deixavam dopados.
De acordo com alguns pacientes, um menor de 15 anos, internado no Centro Terapêutico era quem mais sofria com as torturas, uma vez que o dono do estabelecimento praticava atos libidinosos contra ele e mordia o nariz do adolescente até sangrar, em troca de um cigarro.
No local, foi apreendida uma maleta de primeiros socorros com diferentes tipos de medicamentos, pastas com documentos da Clínica e dos internos e uma máquina de choque, encontrada no quintal da propriedade, em um plantio de Abóbora. . Dois vigilantes e uma psicóloga que prestavam serviço na Clinica também foram ouvidos.
Os acusados foram conduzidos a delegacia e foram autuados em flagrante por tortura, pela delegada Mariell Antonini Dias

 

 

Responder

comment-avatar

*

*