Adjunta pede exoneração e denuncia desvios na Seduc

Vanice Marques pediu formalmente seu desligamento do cargo de Secretária adjunta de Estrutura Escolar da Secretaria de Estado de Educação (Seduc-MT). Motivo: indicativo de desvios de recursos da pasta comandada por Ságuas Moares (PT).

No cargo desde dezembro de 2011, Vanice Marques em carta aberta, revela que não compactua com o modelo de gestão do petista e delata a falta de comprometimento do secretário com apresentação de resultados positivos para Educação. Segundo ela, os recursos destinados à Educação são usados para outros fins e clama para que os órgãos de controle sejam mobilizados para frear os desmandos comandados por Ságuas Moraes e sua equipe.

“Não pactuarei e não me calarei diante de atitudes que utilizam recursos públicos para outros fins”, informa a ex-secretária que permaneceu por sete anos na estrutura do Estado.

A nomeação de Vanice, como adjunta causou revolta no grupo petista, do qual Ságuas faz parte. A propósito, a Secretaria de Educação é considerada uma espécie de feudo do PT, particularmente do grupo liderado por Carlos Abicalil. Detentora da maior fatia do Orçamento do Estado, por três anos consecutivos a Seduc foi ocupada pelo então deputado estadual  licenciado Ságuas Moraes, que retornou à pasta em 2011 após sofrer derrota nas urnas para deputado federal.

Decepcionada com o modelo de gestão implantado na Seduc, Vanice Marques denuncia que foi impedida de criar sistemas de transparência e ter acessos a documentos. Além disso, havia a solicitação de sua assinatura em processos incompletos. Sua participação dentro da secretaria foi reduzida.

“Foi-me negado por diversas vezes acessos a documentos (referentes à minha responsabilidade) para análise, e por fim para me excluir definitivamente das discussões e decisões de investimentos, publicaram um núcleo executivo tirando 90% da execução orçamentária da pasta sob minha responsabilidade.”

Ainda conforme a ex-secretária o atual modelo de gestão implantado na Seduc é considerado arcaico e não contribui para o desenvolvimento da Educação no Estado de Mato Grosso.

Veja carta na íntegra 

“Venho através desta carta esclarecer o meu desligamento do cargo de Secretária Adjunta de Estrutura Escolar da Secretaria de Estado de Educação (Seduc-MT).

“Na definição do retorno do partido PSD à base do governo Silval Barbosa em dezembro de 2012 fui indicada neste cargo na Seduc ao Governador, que aceitou meu retorno ao governo pelo histórico de nossa contribuição e trabalho, anteriormente por 7 anos na Casa Civil, Fapemat e Secretaria de Turismo, inclusive como Gestora da pasta em 2010.

“Na minha vida pública sempre prezei pelo respeito ao ser humano e resultado no trabalho, e essas atitudes fazem toda diferença quando queremos algo melhor para nosso país.

“E não foi diferente na minha entrada na Seduc. Encontrei uma equipe cheia de vontade de participar e contribuir para as conquistas no setor educacional, também uma demanda infinita para atender desde as escolas no centro da nossa Capital até aquelas mais longínquas do nosso Estado. Isso muito me motivou sabendo o quanto poderia trabalhar pela educação e contribuir com as comunidades do nosso Mato Grosso.

“Lamentavelmente temos um sistema educacional ainda arcaico e que prejudica sobremaneira o aprendizado e evolução do aluno ao acesso à informação e tecnologia, mas podemos fazer a diferença quando temos uma gestão comprometida com o resultado e preocupada com nossos clientes, que são professores, alunos, pais, funcionários, etc. Não foi o que encontramos na Seduc.

“Na Seduc, por dois meses que estive fui impedida de implantar rotinas administrativas, criar sistemas de transparência, alterações de responsabilidades entre funcionários, foi-me solicitado expressamente assinaturas em processos incompletos. Foi-me negado por diversas vezes acessos a documentos (referentes à minha responsabilidade) para análise, e por fim para me excluir definitivamente das discussões e decisões de investimentos, publicaram um núcleo executivo tirando 90% da execução orçamentária da pasta sob minha responsabilidade.

“Talvez tenha me alongado, mas não pactuarei e não me calarei diante de atitudes que utilizam recursos públicos para outros fins. A ingerência e subterfúgios da gestão atual da Seduc-MT compromete o desenvolvimento da educação do nosso Estado, resta-nos confiar nos órgãos de controle para frear esses desmandos.

“Continuarei contribuindo com nosso Estado, pois acredito na nossa vontade de mudar as coisas, enfim acredito em nós, mato-grossenses”. 24 Horas News

Responder

comment-avatar

*

*