ÁGUA BOA – A Defensora Pública da comarca de Água Boa denuncia o estado de abandono da sede da Defensoria local

A Dra. Gisele Berna informou que desde novembro, o telefone da Defensoria está cortado por falta de pagamento. O mesmo ocorre com a internet, cortada por falta de pagamento. Ela disse que faltam funcionários para trabalhar, e que desde janeiro, conta com ajuda das prefeituras, que cedem funcionários para manter o mínimo atendimento possível. A defensora disse que atende aos cerca de 500 reeducandos da Penitenciária Regional Major Zuzi, mais as pessoas que procuram pela instituição, oriundas dos 3 municípios da comarca: Água Boa, Nova Nazaré e Cocalinho. Gisele reconheceu que não consegue atender a demanda, tendo que marcar horário com as pessoas com enormes prazos, o que causa descontentamento entre a população. A Defensora disse que não é culpada dessa situação, mas que o governo do estado não está bancando as mínimas condições para manter o órgão. Ela lembra que várias Defensorias em cidades do Araguaia fecharam as portas, por absoluta falta de condições de trabalho. A advogada do estado afirmou que dá preferência por atender aos réus presos, e questões que envolvam a saúde de pessoas envolvidas em processos. A Defensora trouxe essas informações para rebater a acusação de que não estava dando atendimento as pessoas da comunidade. “Simplesmente, não tenho condições de atender a todos”. A Defensoria Geral de Mato Grosso prometeu enviar mais um Defensor Público para atuar na comarca, para desafogar o excesso de serviço que pesa sobre a profissional. É notório a falta de investimentos do estado, penalizando outra vez várias cidades do Araguaia.

Fonte: interativafm99

Responder

comment-avatar

*

*