ALENCAR SOARES MOVIMENTA O TABULEIRO POLÍTICO DE BARRA DO GARÇAS

Senhoras e senhores façam suas apostas, pois o tabuleiro político de Barra do Garças esta se definindo e com a proximidade das convenções, os pré-candidatos se movimentam nas articulações em busca de apoio e na formação de coligações.

A novidade neste início de maio é a pré-candidatura ao executivo, do ex-conselheiro Alencar Soares, que volta a vida pública depois de ter disputado a prefeitura em 1992 e 1996 (perdeu para os primos Wilmar Peres e Wanderlei Farias, respectivamente) e ter exercido o cargo de deputado estadual por dois mandatos (1998-2002 e 2002-2006).

Alencar Soares (PSD?) – Segundo os meus pássaros apuraram, o conselheiro do Tribunal de Contas do Estado, deverá se desligar do órgão na próxima quinta-feira (3), e logo após reunir a imprensa para uma entrevista coletiva, onde oficialmente, estará anunciando a sua intenção de disputar a prefeitura de Barra do Garças. Alencar, deverá mesmo aportar no PSD, haja vista, Roberto Farias está inelegível pelo TRE e aguarda liminar (que pelo visto não sairá tão cedo) do TSE. O prazo de quinze dias pedido por Beto para abrir mão da vaga, se expira neste próximo final de semana. Alencar anunciou que já foi procurado por outros partidos, mas a preferência é pelo PSD que tem seu filho Leandro Soares na presidência do diretório municipal. O prazo para ele pedir a sua descompatibilização do Tribunal, assinar a ficha em alguma agremiação partidária e anunciar a candidatura, encerra-se no dia 7 do mês de junho.

Roberto Farias (PSD) – O Tribunal Regional Eleitoral de Mato Grosso cassou o diploma de suplente de deputado federal de Roberto Ângelo Farias e declarou sua inelegibilidade por três anos, acusando-o de abuso de poder econômico e utilização indevida de veículos de comunicação nas eleições de 2010 quando foi candidato e saiu derrotado das urnas pelo (PP).

A medida do TRE contra Roberto Farias, foi votada em 14 de julho de 2011. A medida ainda cabe recurso e atualmente ele recorre ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE), embora a decisão que por enquanto o deixa fora da corrida eleitoral do próximo ano, foi unanimidade dos desembargadores, o que torna difícil a obtenção de um parecer favorável a sua pessoa.
A ação contra Roberto Farias foi impetrada pelo advogado Cândido Teles (PSB) que nas eleições do ano passado foi candidato ao parlamento mato-grossense sem, contudo, obter êxito.

Em conversa com Alencar Soares na semana próxima passada, Beto pediu um prazo de 15 dias para, em caso de não conseguir uma liminar junto ao TSE, abrir mão da vaga em prol do ex-conselheiro do TCE. Á partir daí, Alencar deverá começar conversações com outros partidos visando compor uma coligação forte para a disputa do pleito, mesmo porque, o PSD não dispõe, por enquanto, de tempo de propaganda eleitoral gratuita no rádio e na televisão.

Daltinho (PMDB) – Vem se confirmando no grande nome da oposição para as próximas eleições. Com a união dos partidos ligados ao prefeito e a inclusão neste pacote de PPS e PDT, Daltinho caminha no rumo certo para liderar a oposição na corrida sucessória, tendo no advogado Sandro Saggin (PSB), uma pedra em seu caminho. A conversa no sentido de somarem forças na composição do grupo de oposição, parece o melhor caminho a ser seguido.

Daltinho deve contar com o apoio do PT e PC do B nestas eleições. A professora Fátima Aparecida Resende, adjunta na Seduc, é o nome mais cotado para ser candidata a vice-prefeita em sua chapa.

Sandro Saggin (PSB) – O advogado e presidente da OAB Sub-Seção de Barra do Garças, foi o primeiro a lançar pré-candidatura e depois de uma luta travada com Eduardo Moura (PPS), visando cooptar apoio do Movimento Mato Grosso Muito Mais, viu caminho livre após desistência de Moura, de disputar o pleito nas eleições de outubro. Apesar do anúncio de pré-candidatura do empresário e funcionário do Ibama, Ubaldino Resende, pelo PDT, Saggin acredita na manutenção de apoio do movimento em prol do seu nome e tem mantido conversações neste sentido com os líderes do PDT e PPS.

Sandro Saggin têm se reunido com várias lideranças partidárias e populares visando a corrida eleitoral de 7 de outubro e assim como Daltinho, tem se consolidado em um dos nomes de oposição em Barra do Garças. Denúncias apresentadas contra ele e seu pai Linconn Saggin, poderá se tornar um empecilho para viabilizar seu nome na disputa. Se consolidar sua candidatura após as convenções, Sandro Saggin poderá ser o fiel da balança na corrida sucessória de Wanderlei Farias.

Wanderlei Farias (PR) – Segundo informações, o prefeito tem dito em alto e bom som a amigos mais próximos, de que não será candidato a reeleição. Tanto seria verdade que deixou caminho livre para seus apadrinhados políticos, Julio César (presidente da Câmara Municipal) e Andrea Santos (sobrinha e vereadora), lançarem seus nomes visando a disputa do pleito. Meus pássaros, no entanto, não acreditam nesta versão e se o alcaide não for impedido por mau uso do recurso público pelo Tribunal de Contas da União estará a salvo, caso consiga a suspensão ou nulidade do processo pelo Poder Judiciário e deverá encarar a reeleição no crepúsculo da disputa.É engraçado! O prefeito diz aos mais próximos que não será candidato, mas não disse isso em público. Por que será? Em assim sendo, Wanderlei poderá encarar Daltinho num verdadeiro duelo de Titãs, podendo até aparecer um terceiro nome entre os dois, como o ocorrido em 2008, quando Maria do Mercado “apareceu do nada” e disputou a eleição(????).

Julio Cesar (PSDB) – O vereador e presidente da Câmara Municipal, trava uma disputa interna com sua colega de parlamento, Andrea Santos, pelo apoio do prefeito, caso este não seja candidato a reeleição. Ambos se juntaram e conseguiram a priori, unificar os partidos de situação, com exceção do DEM, que não sabe se vai ou se fica, para ver quem chega melhor nas convenções partidárias. A novidade na última semana ficou por conta do empresário Ubaldino Resende, que se juntou aos dois primeiros pela disputa do apoio do alcaide. Segundo ficamos sabendo, serão realizadas algumas prévias nos próximos dias e aquele que se sobressair melhor, será o candidato de consenso. Será?

Andréa Santos (PR) – A vereadora está em situação complicada, pois com o lançamento da pré-candidatura de Alencar Soares,a mesma vê o seu projeto ruir, haja vista, não irá para uma disputa interna enfrentando o próprio sogro. Pelo visto sua pré-candidatura já nasceu morta e deixa caminho livre para Julio Cesár e Ubaldino Resende disputarem o “afeto” do alcaide.

Ubaldino Resende (PDT) – Este já ficou conhecido na política local como “homem track”, pois em época de eleição sempre faz balão de ensaio em lançar candidatura e na hora do “vamos ver” acaba se retraindo e pulando fora. Desta feita, afirma categoricamente que será candidato a prefeito e sonha em contar com o apoio do prefeito. Já se reuniu com o grupo de sustentação ao alcaide e deverá disputar uma prévia com Julio César e Andrea para saber quem será o candidato do grupo. Com a desistência de Eduardo Moura, Badico viu o caminho livre, mas segundo meus pássaros informaram, o presidente do Sindicato Rural, Rodrigo Raggioto se assanhou e pode entrar na parada. Raggioto é filiado ao PDT de Badico e pode derramar água no chopp. Vamos ver se desta feita, Badico põe fim a fama de “pipoqueiro” e encare a disputa na condição de candidato a prefeito.

CHOCOLATE.

Responder

comment-avatar

*

*