Alongamento da safra de cana envolve maior risco climático

Para recuperar o atraso da atual temporada 2012/13, a indústria sucroalcooleira do centro-sul pode alongar a moagem da cana, mas a operação ficará sujeita aos efeitos de um clima mais chuvoso e com maiores riscos, informou a Unica nesta sexta-feira (24).

Apesar do avanço recente, a moagem na atual temporada ainda está 13 por cento inferior se comparada ao ciclo 2011/12, segundo os dados da União da Indústria de Cana-de-açúcar (Unica), após chuvas intensas entre maio e junho atrasarem os trabalhos em 2012/13.

“Acreditamos que essa defasagem demandará um alongamento da safra, o que envolve maiores riscos de chuva”, disse a entidade em e-mail à Reuters, respondendo a questionamento sobre a viabilidade de o setor tirar o atraso até meados de dezembro.

Em nota na véspera, o presidente interino da Unica, Antonio de Padua Rodrigues, disse que, mesmo com condições climáticas mais propícias à colheita, “não será viável recuperar este significativo atraso na moagem até meados de dezembro”, especialmente porque ele está concentrado em São Paulo.

Considerando o atraso atual, até meados de agosto, o déficit de moagem entre as safras 2011/12 e 2012/13 é de 37,69 milhões de toneladas.

A entidade esclareceu que é viável economicamente recuperar este nível, mas o setor enfrentará dificuldade.

“É possível moer o montante equivalente a tal déficit… porém, dificilmente as empresas conseguirão processar essa cana no período normal de safra, ainda que as condições climáticas se mantenham favoráveis”, disse a Unica.

Um tempo mais úmido, além de atrasar a colheita, aumenta os custos de manutenção e causa quedas nas taxas de açúcar recuperável. Isso tem impacto na produtividade industrial.

O clima mais seco recentemente colaborou para o alto aproveitamento da capacidade da moagem durante a última quinzena. Mas meteorologistas vêm alertando para a possível ocorrência de El Niño, o que implicaria em chuvas mais abundantes a partir de setembro.

A Unica prevê uma moagem de 509 milhões de toneladas de cana na safra 12/13, e o setor havia processado até meados de agosto 261,09 milhões de toneladas.

A consultoria Datagro afirmou recentemente que um volume “significativo” de cana da safra 2012/13 do centro-sul do Brasil deverá ser deixado nos campos para colheita no ciclo 2013/14, com usinas evitando os trabalhos durante o período chuvoso no final do ano agrícola.

Reuters – sonoticias.

Responder

comment-avatar

*

*