Ambulância deixa duas pacientes em rodovia

Indignada com os maltratos dispensados a duas pacientes renais, Marilza Martins, de 52 anos e Elisângela Siqueira, de 35, residentes em Aragarças e que foram abandonadas na tarde de 23 de dezembro na GO 060, pelo motorista da ambulância Lucimar, a vereadora Regina Célia (PSC) postou um vídeo na internet onde reclama do atendimento de saúde pública do município e pede providências.

As pacientes foram abandonadas à beira da estrada e só voltaram para casa porque uma ambulância de Bom Jardim que passava deu carona até aquela cidade de onde tomaram ônibus para Aragarças.

Antes de recorrerem a Iporá para as sessões de hemodiálises, as pacientes de Aragarças eram atendidas pelo INA de Barra do Garças, mas o convênio foi suspenso pela prefeitura local.

Além disso, a vereadora disse que vai levar o caso ao conhecimento do Ministério Público sobre as duas pacientes que fazem hemodiálise na cidade goiana de Iporá. Ela conta que quando seguiam para mais uma sessão, um pouco depois de Piranhas, as pacientes reclamaram que o motorista estava fumando. Segundo a vereadora foi o “estopim para que ele mandasse que as duas descessem do carro e ficassem entregues à própria sorte”.

Na manhã de hoje (29) Regina Célia foi ao Hospital Getúlio Vargas pedir explicações à diretora Denise que não foi encontrada, assim como o motorista. “Falei com o Marquinhos da Comunicação que me garantiu que na segunda-feira, 4 de janeiro, o motorista não vai mais trabalhar na ambulância que na realidade não é ambulância coisa nenhuma, mas um carro improvisado que era do Conselho Tutelar, cujas portas são amarradas com arame”.

O secretário de comunicação da Prefeitura de Aragarças, Hoberdan Gomes de Santana, disse por telefone na tarde de hoje que não tinha conhecimento do caso, mas que assim que falasse com o secretário de Saúde iria ser pronunciar. SEMANA 7

Responder

comment-avatar

*


*