Analista da Sefaz é preso por fornecer informações privilegiadas à quadrilha especializada em roubos e clonagem de veículos

Um analista da Secretaria de Estado de Fazenda (Sefaz) foi preso em flagrante na manhã desta terça-feira (19), em Cuiabá, durante a operação Clone, deflagrada pela Delegacia Especializada de Roubos e Furtos (Derf) e Polícia Militar. Ele era o responsável por fazer as pesquisas de veículos que posteriormente eram empregadas na clonagem. Outro servidor público investigado é o diretor da Agência Municipal de Trânsito de Itanhangá. Ele não foi preso, mas mandados de busca e apreensão foram cumpridos em sua residência.

Além do servidor da Sefaz, outras quatro pessoas foram presas em flagrantes. As identidades ainda não foram reveladas pela polícia, que só irá divulgar os nomes dos envolvidos após o indiciamento dos mesmos. Um despachante, com residência no CPA, também foi preso em flagrante com dezenas de cédulas originais do Departamento Estadual de Trânsito, que eram empregadas no esquema de fraude.

Durante a operação foram apreendidos  três notebooks, dois CPUS, impressoras do mesmo modelo usado pelo Detran, além de dezenas de cédulas originais para documentação veicular. Um revólver calibre 38 também está entre os materiais apreendidos.  A polícia informou que ao longo de seis meses de investigação pelo menos 71 veículos, entre carros, motocicletas e caminhões  foram clonados. Segundo a polícia, a preferência da quadrilha era por carros pequenos e também as motos.

“Ao longo de seis meses de investigações nós já prendemos outras doze pessoas. Chegamos a requisitar da Justiça mandados de prisões, mas os pedidos não foram aceitos”, explica o delegado titular da unidade, Francisco Kunze. Ele explicou ainda que a quadrilha é muito bem organizada e possui diversas ramficações. Pelo menos 26 pessoas estão envolvidas diretamente no esquema.

Ao todo, nesta manhã, treze mandados de busca e apreensão foram cumpridos em Várzea Grande, Cuiabá e Itanhangá, na operação “Clone”. As ordens são cumpridas em residências de dois servidores públicos, dois despachantes (duas casas e escritório) e pessoas suspeitas de adulterar chassis e falsificação de documentos.

As investigações identificaram o envolvimento de 14 pessoas, que irão responder por crimes de roubos, falsificação de documento público, adulteração de sinal identificador de veículo, quadrilha ou bando e associação ou bando. O grupo possuía informações privilegiadas do Departamento Estadual de Trânsito (Detran-MT) e da Secretaria de Estado de Fazenda (Sefaz).

Sobre a prisão do servidor, a assessoria da Sefaz informou que assim que for confirmado oficialmente pelas autoridades policiais o envolvimento do servidor, automáticamente, ele será afastado de suas funções.

A Assessoria do Detran-MT informou que já foi aberto procedimento pela Corregedoria do órgão para apurar os crimes apontados pela Polícia Civil.  Declarou ainda que o servidor é cedido pela Prefeitura Municipal de Itanhangá para desenvolver as atividades. Da Reportagem – Patrícia Neves / Da Redação – Priscilla Silva Olhar Direto

Responder

comment-avatar

*

*