Anderson Silva visita o Xingu e aprende luta local

Campeão do peso médio do UFC, o lutador brasileiro Anderson Silva visitou o Xingu com o intuito de aprender mais sobre uma luta local: o huka-huka. Além disso, ele aproveitou a viagem para gravar um comercial para uma marca de açai.

Anderson Silva precisou adotar a pintura local para se aventurar pelo huka-huka

“É outra arte que vou conhecer, quero saber como eles conduzem a filosofia desse esporte”, explicou em entrevista a publicação.

Na chegada na comunidade, Anderson Silva foi recebido pelo jovem Wake, que foi o responsável por explicar ao campeão do UFC as táticas e história do huka-huka. Wake ainda revelou que na luta local eles também tem uma espécie de cinturão, que é colocado em disputa durante os combates.

“Se eu perco um duelo, meu adversário pode arrancar esse cinturão de mim, jogar no chão e pisar em cima do pássaro. É como se eu não tivesse o direito de usar aquilo”, contou.

Wake carrega com si um cordão amarrado na cintura com um pássaro xexéu, preto e amarelo, com asas abertas, pendurado na parte de trás.

Convidado para experimentar o huka-huka, o campeão do UFC precisou de uma preparação especial, com uma pintura com bolas pretas e vermelhas no tórax.

“É uma pintura da onça, todo lutador tem que ter”, explicou um dos lutadores locais.

Anderson Silva cumprimenta “rival” durante a sua passagem pelo Xingu

Além da pintura especial, Anderson Silva amarrou panos grossos para proteger o joelho, um tira de pele de onça na cintura e um colar de placas de caramujos no pescoço.

O combate começa com os dois adversários ajoelhados e o objetivo é derrubar o rival de costas no chão. O lutador do Corinthians não resistiu nem 15 segundos e foi derrotado.

Depois do rápido revés, o paulista pede para que a luta permita algumas das regras do UFC. Então, Silva passar a utilizar suas técnicas de imobilização e vence os confrontos seguintes.

A chave de braço desperta a curiosidade de Wake e Anderson explica a técnica. “É um triângulo de mão. Uma técnica boa, eficaz. Espero que eles consigam usar no tipo de luta que fazem, que é quase semelhante ao estilo de solo do MMA”, contou.

uol esportes

Responder

comment-avatar

*

*