Após acidente, moradores do Veranópolis trancam BR 158 e cobram mais segurança no perímetro urbano

Moradores do distrito de Veranópolis, 33 km de Confresa, trancaram na manhã de hoje 04/08 a BR 158, que passa no perímetro urbano do distrito. Em protesto a falta de segurança, pedras, madeiras e galhos foram colocados pelos moradores para impedir a passagem.

Segundo Jurandy da Silva um dos lideres do movimento, o objetivo é chamar a atenção das autoridades para o problema. ‘’ Já enviamos ofícios, cobramos da prefeitura, da Câmara uma iniciativa para a implantação de quebra-molas, pois os caminhões passam em alta velocidade e não respeitam quem está dentro do distrito, colocando em risca a vida dos moradores principalmente das crianças ‘’ disse Jurandy ao Portal Agência da Notícia.

Nas primeiras horas do dia vários carros, caminhões e motocicletas já se aglomeravam na rodovia impedidos de seguir o percurso tanto para Confresa quanto para a cidade de Vila Rica.

O bloqueio acontece após um acidente que aconteceu na noite de ontem 03/08 onde uma carreta carregada de milho perdeu o controle durante a curva dentro do perímetro urbano e acabou capotando.

“A carreta vinha em alta velocidade cerca de 120 km por hora quando perdeu o controle e capotou se arrastando cerca de 100 metros pela pista” explicou uma testemunha.

 Com o bloqueio os moradores esperam algum representante para ouvir a reivindicação sobre a implantação dos quebra-molas.

Ainda de acordo Jurandy Da Silva o protesto deve durar apenas 24 horas caso não apareça ninguém para negociar.

“Ficaremos até 24 horas esperando alguém para negociar se não aparecer  iremos desfazer o bloqueio e vamos organizar novas manifestações” explicou.

O motorista do caminhão que não teve o nome divulgado envolvido no acidente quebrou o braço, mas, passa bem, parte da carga de milho foi saqueada por moradores do distrito.

A polícia esteve no local, mais a retirada dos manifestantes ainda não foi confirmada.

Agência da Notícia com Uasley Werneck 

Responder

comment-avatar

*

*