Após se demitir, médico denuncia “falta de humanidade” em atendimento em hospital de MT

Dois meses após a sua saída do quadro de funcionários da rede pública de saúde, o médico Duarte fez revelações sobre o funcionamento interno do Hospital Regional de Alta Floresta Albert Sabin. “Uma coisa que me incomodava no hospital é que só se falava muito em dinheiro, muito em milhões e política”, falou o médico frisando a falta de humanidade no atendimento.
“A relação médico paciente passou a ser comprometida, os pacientes serão agora do Hospital Regional, essa não é a medicina que nós estamos acostumados, me coloquei contra isso, uma vez que eu conheço meus pacientes, eu não trato números eu trato pessoas” – acrescentou o profissional.
Guerra  se mostrou contra as chamadas Organizações Sociais de Saúde (OSS), que assumiram a administração das unidades de saúde em Mato Grosso como parte da política definida pelo Governo.  A forma de atendimento, segundo ele,  passou a ser de metas a serem cumpridas e apresentadas ao Estado. “Como presidente da associação médica eu cobrava algumas situações que eu não concordava, desde que a unidade passou a ser gerida pela OS” – relatou.
O médico ainda falou sobre não haver reuniões clínicas, sobre demissão de funcionários via e-mail, e a falta de adequação em salas cirúrgicas, frisando ainda que após o procedimento cirúrgico, o retorno do paciente é realizado no PSF de seu bairro, sem mais ver o médico que o realizou, tirando toda a humanização do atendimento.
Guerra ainda frisou que antes da estadualização, os problemas eram levados a administração e a secretaria de saúde, “Antes a gente conversava com o administrador do hospital ele falava com o secretário de saúde que dava uma resposta e isso hoje não acontece no Hospital Regional”. 24 Horas News

Responder

comment-avatar

*

*