Artista cuiabano é selecionado para exposição no Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro

Foto: Valques Rodrigues

s artistas de Cuiabá há muito tempo levam suas obras para outros estados e exterior. A exemplo disto, o cuiabano Valques Rodrigues participa da exposição “Novas Aquisições 2012/2014 – Coleção Gilberto Chateaubriand”, aberta no sábado (30/08), no Museu de Arte Moderna (MAM) do Rio de Janeiro (RJ).

Leia mais: Museu da Imagem e do Som exibe fotos vencedoras de prêmio de Fotojornalismo

Rodrigues está entre os artistas selecionados pelo MAM que, desde 1993, possui a Coleção Gilberto Chateaubriand. Com mais de oito mil peças, a coleção é internacionalmente conhecida como um dos mais completos conjuntos de arte moderna e contemporânea brasileira. 

Filho do artista plástico Nilson Pimenta, instrutor do Ateliê Livre de Artes do Museu de Arte e Cultura Popular (MACP) da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT), Valques Rodrigues começou a pintar aos seis anos de idade. De acordo com a assessoria da instituição, Valques atualmente, desenvolve projetos em escolas e atua como instrutor voluntário do Ateliê Livre. 

Para acompanhar a trajetória do artista, acesse seu blog clicando AQUI

Seleção

Para exibir novas obras, o Museu de Arte Moderna realiza, a cada dois anos, uma exposição coletiva. Valques Rodrigues foi selecionado com a obra “Cortadores de Canas” e, agora, mostra a sua arte em um dos principais centros culturais do Brasil. A exposição reúne artistas de diferentes regiões brasileiras e fica aberta até o dia 16 de novembro. 

“As Novas Aquisições da Coleção Gilberto Chateaubriand já é uma tradicional exposição de nosso calendário e do cenário artístico. A primeira aconteceu em 2000, e de lá para cá foram cinco. Esta sexta edição abrange os últimos dois anos, reunindo 65 artistas, sendo 38 estreantes na coleção, que revelam as mais recentes tendências de nossa produção artística”, escreve o presidente do Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro, Carlos Alberto Gouvêa Chateaubriand.

Segundo o presidente do MAM Rio, “a exposição celebra, mais uma vez, o vigor do colecionador na busca de novos artistas nas diversas regiões do país. Trata-se de um panorama do pensamento e do olhar de Gilberto Chateaubriand sobre a arte brasileira”.

“A Coleção, iniciada em 1951, hoje conta com mais de oito mil obras. Cedida em comodato ao Museu de Arte Moderna há 21 anos, é única no Brasil em sua vocação institucional, o que nos permite apresentar um cenário completo da arte brasileira dos últimos cem anos”, afirma o presidente do MAM.

“A Coleção Gilberto Chateaubriand sempre teve como foco o estímulo a jovens artistas. Muitos deles, ainda sem galeria e sem inserção no circuito, ganham aqui sua primeira exposição institucional. Outra marca da Coleção é sua natureza enciclopédica que não exige recorte temático ou conceitual”, explicam Luiz Camillo Osorio e Marta Mestre, curadores da exposição. Entre os artistas que também integram esta exposição estão nomes renomados como Roberto Burle Marx e Anna Bella Geiger, dentre outros. OLHAR DIRETO

Responder

comment-avatar

*

*