Bactéria em comida de festa intoxica 107 pessoas e pode ter matado mulher

Exames divulgados nesta terça-feira detectaram presença de salmonela.
Contaminação ocorreu em festa tradicional em Guarantã do Norte (MT).

Roseli morreu após dar entrada em hospital (Foto: Arquivo Pessoal/Rosalina Ribeiro)

Um laudo da Vigilância Sanitária e Epidemiológica de Guarantã do Norte, a 721 km de Cuiabá, divulgado nesta terça-feira (25), apontou que a contaminação alimentar em 107 pessoas durante uma tradicional festa no município de Guarantã do Norte, foi provocada pela presença da bactéria salmonela. Uma dona de casa, de 51 anos, morreu após dar entrada no hospital da cidade com quadro de infecção grave e a família acredita que seria por complicações com intoxicação alimentar.

Segundo a Vigilância Sanitária, a causa da contaminação foi detectada em exames de fezes de pacientes analisados por um laboratório de Cuiabá. As amostras também apontaram a presença de norovírus, que pode provocar vômito, febre, perda de apetite, dores abdominais, além de diarreia.

A intoxicação ocorreu no dia 14 de junho, quando mais de 200 pessoas participavam de um almoço organizado por moradores da comunidade Santo Antônio, na zona rural do município. Na festa, os moradores teriam consumido churrasco, mandioca, vinagrete e salada de maionese.

No dia seguinte, muitas pessoas que foram ao evento procuraram o hospital público da cidade com diarreia, dores abdominais, náuseas, vômitos e febre. Algumas foram internadas com esses sintomas, inclusive, a moradora Rosalina Ribeiro Bueno, que morreu 24 horas depois no hospital. A coordenadora da Vigilância Sanitária, Eliamarta Machado, disse em entrevista ao G1 que não foi possível verificar quais alimentos estavam contaminados pela bactéria.

A maionese que teria sido consumida na festa foi encaminhada ao laboratório para análise, porém, era industrializada. “Quando chegamos à festa não havia mais alimentos para o recolhimento e análise. Apenas um pote de maionese lacrado havia sobrado e estava na cozinha do local. A contaminação ocorreu em outros alimentos consumidos na festa e, provavelmente, foi ocasionada pela falta de higienização”, explicou. Eliamarta declarou ainda que não descarta que a morte dona de casa pode ter sido ocasionada pela salmonela.

A filha dela, Daiana Regina Corrêa, disse que a família está abalada e que a mãe era uma pessoa saudável. A analista contábil relatou que a mãe completaria 52 anos no dia em que faleceu. O atestado de óbito, segundo ela, constou que Rosalina sofreu infecção generalizada e parada cardíaca. A Polícia Civil informou que investiga o caso.

O dinheiro arrecadado com a festa é destinado para reformas e estruturação da Paróquia Nossa Senhora do Rosário, localizada na comunidade. Para o padre Milton César Tobias, a situação é lamentável. Ele ressalta que a equipe organizadora teria tomado todos os cuidados com a higienização.

Responder

comment-avatar

*


*