BC reduz juros à menor taxa da história; entenda os impactos

A taxa básica de juros (Selic) foi reduzida pela oitava vez seguida pelo Banco Central (BC) na noite da quarta-feira e passou de 8,5% a 8% ao ano – o menor valor da história no País. Esta foi a oitava redução consecutiva na taxa básica de juros desde o final de agosto do ano passado, quando a Selic estava em 12,5% ao ano. Motivos
A queda visa dar um novo estímulo à economia brasileira no segundo semestre. Com o baixo desempenho registrado na primeira metade do ano, o governo está preocupado com a possibilidade de o Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro, a soma de todas as riquezas produzidas no País, crescer menos do que os 4% previstos. O Banco Central já reduziu de 3,5% para 2,5% a expectativa de alta do PIB para este ano. Mundo
Mesmo com a taxa recorde, o Brasil paga o terceiro maior juro real (taxa básica descontada a inflação projetada nos próximos 12 meses) do mundo, de acordo com um estudo da Cruzeiro do Sul Corretora. Com a Selic em 8% ao ano, o juro real do Brasil é de 2,3%, atrás apenas da China, com 3,7% ao ano, e da Rússia, com 3,5%. No quarto lugar está o Chile (2,2%), seguido por Colômbia (2%) e Austrália (1,9%).Indústria
Para a Confederação Nacional da Indústria (CNI), a queda de 0,5 ponto percentual na taxa básica de juros (Selic) é uma decisão acertada, mas ainda é pouco para reativar a produção. A mesma opinião é compartilhada pelos sindicatos e pela associações comerciais, que pediram cortes mais agressivos na taxa.Poupança
Com o objetivo de reduzir a taxa de juros, o governo modificou as regras de rendimento da poupança. A partir desta quinta-feira, os depósitos feitos serão corrigidos por valor de 70% da Selic, ou seja, a remuneração ao ano será de 5,6%, acrescido da Taxa Referencial (TR), que é calculada diariamente pelo BC.Crédito
Após o anúncio de novo corte, a Caixa e o Banco do Brasil (BB) reduziram as taxas de juros das operações de crédito. Para as pessoas físicas, as taxas contempladas na Caixa foram as do financiamento de veículos e do crédito aporte (chamado de refinanciamento de imóveis). Já o Banco do Brasil diminuiu as taxas do crédito benefício e do material de construção para pessoa física. O Bradesco também anunciou a redução de taxas de suas princiapis linhas, com novos valores válidos a partir de segunda-feira.Financiamentos
A redução de 0,50 ponto percentual na taxa básica de juros tem um efeito pequeno nas operações de crédito, segundo a Associação Nacional dos Executivos de Finanças Administração e Contabilidade (Anefac). Por exemplo, uma geladeira de R$ 1.500 financiada em 12 vezes ganha uma redução de R$ 0,38 na parcela e queda de R$ 4,54 no valor final do bem.

Responder

comment-avatar

*

*