Brigada indígena conclui treinamento para atuar contra queimadas em MT

No estado, 87 indígenas de três etnias devem atuar no período crítico.
Indígenas fazem parte do esforço de combater fogo em áreas federais.

O Centro Especializado de Prevenção e Combate a Incêndios Florestais (Prevfogo), órgão que reúne diversas entidades com objetivo de combater as queimadas no estado, formou nesta semana um grupo de 87 indígenas designados para atuar em três brigadas durante o período crítico de incêndios no interior do estado, geralmente de até seis meses de duração.

Os indios são das etnias Bakairi, da terra indígena localizada na região de Paranatinga (a 411 km de Cuiabá), Paresi, da região de Tangará da Serra (a 242 km da capital), e Wawi, provenientes da região de Querência (a 912 km), perto do Parque do Xingu.

Após avaliações médicas, testes físicos e de uso de ferramentas, eles receberam conteúdo teórico e prático para o combate a incêndios florestais. Todo o conteúdo foi ministrado pelos instrutores do Prevfogo apoiados pelo intermédio de intérpretes.

As brigadas são contratadas temporariamente pelo Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama). Em Mato Grosso, além das três brigadas formadas por indígenas, outras cinco foram capacitadas contando com pessoas oriundas de áreas de assentamento do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra). Ao todo, 190 homens devem atuar nas brigadas no estado.

Até o ano passado, o Ibama designava as brigadas para atender áreas no entorno de municípios com alta ocorrência de focos de calor.

Contudo, lei complementar de 2011 fez com que o trabalho, a partir deste ano, os demais entes federados recebam atribuição por essas regiões, deixando para as brigadas do Prevfogo o foco em áreas de responsabilidade federal, como terras indígenas, projetos de assentamento e unidades de conservação do Instituto Chico Mendes de Biodiversidade (ICMBio).

Em Mato Grosso, há cinco anos brigadistas têm se capacitado para o combate ao incêndio. De acordo com o superintendente do Ibama no estado, Marcus Keynes, mais de mil homens já foram capacitados para este trabalho. G1.MT

Responder

comment-avatar

*

*