Cáceres que voltar ao rol de Mato Grosso

Com 1.600 metros quadrados de construção, o projeto da obra do tatersal do Parque de Exposições e Eventos do Sindicato Rural de Cáceres (225 quilômetros ao oeste de Cuiabá) tem o valor estimado de R$ 1,6 milhão. Segundo o engenheiro civil e de segurança, Adilson Reis, que apresentou o projeto durante a última reunião mensal do sindicato, no dia 30 de abril, a obra pode ser executada por partes e é baseada no modelo do tatersal de Juara, considerado o melhor de Mato Grosso.

“Além de um tatersal, será um espaço para eventos”, informa o presidente do Sindicato Rural, Márcio Lacerda, acrescentando que a equipe está buscando várias opções de obtenção dos recursos necessários para a execução da obra, iniciada na gestão do ex-presidente Neto Gouveia.

O prédio terá o espaço para bar, copa/cozinha, banheiros – inclusve o banheiro adaptado aos portadores de necessidades especiais, quatro salas executivas, espaço para imprensa, espaço do leiloeiro, o redondel (espaço para o gado que vai a leilão), um palco reversível.

Serão dois pisos, e o primeiro contará com salas de apoio. A novidade é o “Espaço Memória”, que irá guardar de forma apropriada a bagagem de 40 anos de história do Sindicato Rural, como documentos e fotografias. Na parte de trás, o curral com quatro portas de entrada para o redondel. “É um projeto funcional que segue recomendações de grandes empresas que trabalham com leilões”, explicou o engenheiro.

Ele afirmou ainda que foi contagiado pelo entusiasmo da direção do Sindicato Rural que quer colocar Cáceres novamente no rol das cidades que realizam grandes leilões em Mato Grosso. “Procuramos usar todo o espaço de forma produtiva. Inclusive a cobertura, com janelas que permitam ventilação e luminosidade constantes”.

Para o ex-presidente Neto Gouveia, que deu início ao projeto, com a construção de um curral e iniciou a estrutura do tatersal, o sindicato tinha um curral “ultrapassado e obsoleto”. A meta dos pecuaristas é a conclusão desta obra. Atualmente, uma cidade de Mato Grosso, Água Boa, realiza o maior leilão do mundo, com mais de 42 mil cabeças. Cáceres tem tudo para voltar ao cenário os grandes leilões. O custo pode assustar um pouco, mas com o empenho de cada associado nós conseguiremos apoiar este projeto, que deveríamos ter iniciado há mais tempo”.

Ao agradecer o empenho de todos, o presidente Marcio Lacerda destacou que Mato Grosso tem um rebanho que justifica a construção da obra, “especialmente porque a região de Cáceres concentra a maior parte do rebanho bovino de Mato Grosso. Temos de trazer para cá os grandes eventos de comercialização e, entre um leilão e outro, usar o tatersal para outros tipos de eventos, não deixando o Estado ser subutilizado, mas sim fazendo com que seja mais uma fonte de renda para o sindicato”. Mato Grosso detém o maior rebanho bovino do Brasil com mais de 29 milhões de cabeças.

dc

Responder

comment-avatar

*

*