Cães da Delegacia de Entorpecentes em MT trabalham em 15 operações

Os cães de faro da Delegacia Especializada de Entorpecentes da Polícia Judiciária Civil participaram de mais de 15 operações policiais neste ano, que localizaram drogas dentro de residências e veículos. São cachorros adestrados, importante ferramenta no combate ao tráfico de drogas.

Além do trabalho policial, participam de apresentações em escolas e comunidades. Recentemente, os cães da DRE fizeram visita à sede da Diretoria Geral da Polícia Judiciária Civil, envolvendo os servidores do administrativo nas atividades sociais e levando descontração ao ambiente de trabalho.

Os cães da raça labrador Dorinha, Gaia e Wonca mostraram suas habilidades, no pátio da Diretoria, localizando entorpecentes escondidos em diferentes lugares como dentro de canos, malas e lataria de veículos.

Para o delegado geral Anderson Garcia, a visita foi uma forma de mostrar aos servidores o trabalho realizado pelo canil da DRE. “É uma maneira de nossos servidores conhecerem um pouco melhor a instituição. Os cães são um patrimônio da Polícia Civil e é importante que nossos funcionários conheçam o trabalho realizado pelo canil da DRE e saibam que os cães estão preparados para agir”, disse.

Segundo a investigadora Vanessa Miranda de Paula, adestradora dos cães, os cachorros não são viciados na droga, porque não têm contato com o entorpecente. “A droga é muito bem embalada antes de ser colada dentro de um brinquedo, quando eles encontram o entorpecente, recebem um brinquedo semelhante sem a droga dentro”, explicou.

A adestradora disse que os cães são uma ferramenta que não substitui o policial, mas que auxilia o trabalho de investigação realizado pela Polícia, utilizando aquilo que o animal tem de melhor, o faro. “O faro do animal não falha, mas cabe ao adestrador conduzir os cães aos pontos possíveis de ocultação da droga, para que nenhuma porção passe despercebida”,afirma. Só Noticia

Responder

comment-avatar

*

*