CANARANA CONTA COM O MAIS TALENTOSO CONSTRUTOR DE CHAPÉUS DE PALHA DO ESTADO, AGOSTINHO MADURO

Canarana conta hoje com o mais talentoso construtor de capéus de pallha da região e até do Estado e de Mato Grosso. Trata-se de Agostinho Fernandes da Rocha, mais conhecido como Agostinho Maduro.  A quase 30 anos vem exercendo a profissão de construtor de chapéus de palha. Sua fama foi se espalhando e já foi contratado para realizar obras em diversos municípios do Matro Grosso, inclusive a capital Cuiabá, e também nos estados de São Paulo e Rio de Janeiro. Um dos trabalhos mais marcantes que realizou neste ano foi a construção do chapéu de palha do Centro de Idosos de Canarana. Segundo ele, foi o maior que construiu em sua vida. São 289 m² de área coberta, feito de piaçaba, que segundo Agostinho, é o melhor material existente para cobertura de chapéus de palha.

Um pouco da história de Agostinho Maduro:

Quando os colonizadores sulistas apontaram em Canarana no dia 14 de julho de 1972 já havia famílias na região. Entre elas estava a família Fernandes da Rocha, mais conhecida como Família Maduro.

Agostinho Fernandes da Rocha nasceu dia 18 de junho de 1934 em Carolina-MA. Está próximo a completar 78 anos de idade. Casou-se com Maria das Mercedes Borges Fernandes (já falecida), nascida dia 13 de fevereiro de 1941 em Porto Nacional-TO. O seu casamento aconteceu na terra de Maria Mercedes no dia 31 de julho de 1959.

Fruto desta união vieram os filhos: Maria Lúcia, Gilberto, Raimundo Nonato, Marluci, Margareth, Rosa, Eurico, Marineth, Tiago e Felisberto.  Após o casamento Agostinho e Maria residiram um tempo no município de Paraná-TO transferindo-se depois para Canarana.

Sua chegada em solo canaranense ocorreu no dia 09 de setembro de 1971. Nos primeiros tempos residiram próximos ao Rio Tanguro, no lote que foi adquirido por Alfredo Röpke. Após terem trabalhado em outras localidades, em 1976 a família de Agostinho se estabeleceu na cidade. A partir deste ano Agostinho começou se dedicar a construção de chapéus de palha, atividade que desenvolve até hoje.

Os pais de Agostinho, Sr. Santino Fernandes da Rocha e Sra. Francisca Pinto Abedoral chegaram na região de Canarana, próximo a Fazenda Itarema,  em 1970. Durante os primeiros anos após a chegada dos colonizadores sulistas, a família Fernandes da Rocha conseguiu parte de sua renda vendendo mantimentos como mandioca, leite, frangos e ovos para os colonos. Agostinho desenvolveu também atividades como açougueiro, sapateiro e cabeleireiro, entrando para a história como pioneiro nessas profissões em Canarana.

O apelido “Maduro” que a família Rocha Fernandes usa até hoje, tem sua origem num episódio que envolveu o bisavô de Agostinho no estado do Maranhão. Numa oportunidade estava com um grupo de pessoas e por ser o mais idoso alguém apontou para ele dizendo que seria o mais “maduro”. A partir deste momento as pessoas passaram a chamá-lo de “maduro”, apelido que toda a família conserva até hoje.

Confira abaixo fotos do chapéu de palha do Centro de Idosos de Canarana.

Responder

comment-avatar

*

*