Canarana: Produtores fazem parceria para recuperar a MT-110

As péssimas condições da MT-110, que liga Canarana e Querência passando pela fazenda Tanguro (do senador Blairo Maggi), preocupam produtores e transportadoras para o escoamento da próxima safra de soja, que começa a ser colhida em janeiro. Na região da rodovia, que tem 100 km dentro de Canarana, se planta 25% da soja e 40% do milho produzido no Município. Em março deste ano (foto), os produtores tiveram dificuldades em escoar a produção por conta dos atoleiros que se formaram ao longo da estrada, contribuindo assim para o apodrecimento do grão que não podia ser colhido por falta de caminhões.

Para discutir o problema da rodovia que é de responsabilidade do Governo do Estado, se reuniram nesta manhã de sexta-feira, 29, na Prefeitura Municipal, produtores, transportadoras, secretários municipais, vereadores, políticos, empresários, além do deputado estadual Neldo Weirich (PR), que estava acompanhado de Adelcio Batista Queiroz, responsável pela patrulha de máquinas do Governo do Estado para o Médio Araguaia.

Conforme o secretário de Obras de Canarana, Said Turra, o Governo do Estado já está devendo 450 mil litros de óleo diesel por trabalhos realizados pela Prefeitura Municipal em estradas estaduais localizadas em Canarana. Ainda segundo Sadi Turra, a patrulha não veio nenhuma vez a Canarana neste ano. A Prefeitura tem ficado com toda a responsabilidade em estradas que são estaduais.

Sadi Turra disse que o Governo do Estado já está devendo 450 mil litros de óleo diesel para a Prefeitura Municipal

Adelcio Batista Queiroz explanou que quando assumiu os trabalhos, o maquinário da patrulha que atende a região estava sucateado e ficou vários meses esperando manutenção até começar a operar com parte das máquinas. Nos nove municípios que compreende o Médio Araguaia, são 1.682 km de estradas estaduais, sendo que 500 km delas ficam em Canarana. Os primeiros trabalhos foram realizados na Rodovia do Calcário, MT-326, que liga a BR-158 até as usinas de calcário em Cocalinho, essenciais para a agricultura que está em expansão no Araguaia. A partir disso, a patrulha está fazendo rodízio pela região e a previsão das máquinas chegarem a Canarana é em fevereiro de 2.014.

Mas os produtores não querem esperar até lá e correr o risco de sofrer prejuízos de novo.

O deputado Neldo Weirich comunicou que ao ser informado do problema, entrou em contato com a Secretaria de Estado de Transportes para mediar uma solução e foi autorizado a comunicar que a Secretaria vai ceder o óleo diesel para a recuperação da estrada. Em um rápido cálculo feito pelos presentes na reunião, seria necessário entre 40 a 50 mil litros para recuperar os 100 km da MT-110. O combustível começará a ser liberado na semana que vem em lotes de cinco mil litros.

O deputado Neldo Weirich comunicou que a Secretaria de Estado de Transportes cederá o óleo diesel para a recuperação da estrada. Do lado direito: Adelcio Batista Queiroz. À esquerda: Leonardo Bevilaqua, do Grupo Bom Futuro.

A Prefeitura Municipal entrará com parte do maquinário, motoristas e demais gastos, mas precisaria ainda alugar alguns caminhões, o que em cálculo feito na reunião, custaria 100 mil reais. Os produtores, não vendo alternativa, se comprometeram em arcar com esta despesa para que a MT-110 seja recuperada. Em 15 dias de trabalhos, com esta quantidade de óleo e de maquinários, o secretário Sadi Turra garante a conclusão da recuperação.

Mas os produtores se mostraram indignados com esta situação.

Somente com o imposto FETAHB, na região da MT-110 o Governo do Estado arrecada 2 milhões de reais por ano, fora outros impostos que caem na conta dos governos. Boa parte desse dinheiro está sendo usado para as obras da Copa do Mundo em Cuiabá. A promessa é que para 2.015 metade do FETAHB seja destinado aos municípios geradores. É uma medida importante em médio prazo, mas não resolve o problema imediato e urgente.

Além de comprometer o escoamento da próxima safra, os produtores alegam prejuízos para eles e os demais usuários com a manutenção dos veículos que rodam diariamente por esta rodovia, bem como para o Município. Segundo eles, as fazendas que ficam na região da MT-110 empregam mais de 400 funcionários, que ganham em média dois mil reais por mês cada um.

A maior parte destes 400 trabalhadores rurais está sendo deslocada pelos fazendeiros para fazer compras na cidade de Querência, pois o acesso à cidade vizinha está melhor. Ou seja, o comércio de Canarana, mesmo oferecendo preços mais baixos, também perde, e muito, por conta das condições na MT-110.

Henrique Carneiro, da Fazenda Vera Cruz, que planta dois mil hectares e fica a 90 km de Canarana, disse que os produtores estão extremamente preocupados. “Isso aqui não é maldade nossa, é desespero mesmo”, falou.

Henrique Carneiro, da Fazenda Vera Cruz, de pé ao fundo: “Isso aqui não é maldade nossa, é desespero mesmo”.

Conforme Leonardo Bevilaqua, do Grupo Bom Futuro, que planta 23 mil hectares na região da MT-110, a última patrolada na estrada foi realizada em abril numa parceria entre fazendeiros e a Prefeitura. Somente a Bom Futuro doou mais de 50 mil reais para os trabalhos na MT-110.

Após o fim da reunião, os produtores não saíram sossegados. Sabem que a liberação do óleo diesel não depende somente do deputado Neldo Weirich e do engenheiro Adelcio Batista Queiroz, autorizados a prometer o combustível para a recuperação. Sabem que o estado está quebrado e quase todo o dinheiro foi pra Copa do Mundo.

O medo dos produtores é contratar os caminhões, pagar o aluguel e não ter óleo diesel para realizar os trabalhos. Se isso acontecer, eles prometeram trancar a estrada.

jopioneiro

Responder

comment-avatar

*

*