CANARANA: Réu quer se livrar da acusação de latrocínio

Um ano após a morte do ex-superintendente do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) em Mato Grosso e historiador, Cláudio Conte, em Canarana, o acusado do crime tenta se livrar da acusação do Ministério Público Estadual (MPE).

O réu negou ter cometido latrocínio e pediu que responda somente como homicídio. Conte foi morto no dia 24 de março do ano passado em Canarana. A defesa do réu ainda solicitou que seja feita perícia do material genético encontrado em um preservativo recolhido do banheiro da casa da vítima no dia seguinte ao crime, quando o corpo foi encontrado com uma faca cravada no pescoço.

O material foi encaminhado para a Coordenadoria de Perícias em Biologia Molecular da Perícia Oficial e Identificação Técnica (Politec). No mês passado, o juiz Alexandre Meinberg Ceroy, da 2ª Vara da Comarca de Canarana, cobrou da Politec a conclusão do laudo. O acusado João Batista Alves dos Santos quer ser acompanhado doravante por um defensor público. O suspeito alegou que não tinha intenção de matar Cláudio, mas que teria desferido o golpe de faca para supostamente se defender.

Inácio Roberto/Interativafm

Responder

comment-avatar

*

*