Canarana: Servidores do Detran-MT aderem à paralisação


Nesta semana, os servidores do Detran-MT paralisaram as atividades em protesto as péssimas condições de trabalho nas Ciretrans do interior do Estado e também na sede em Cuiabá.

De acordo com o Sindicato dos Servidores do Detran (Sinetran-MT), a decisão foi tomada em assembléia geral da categoria há 15 dias porque o governo não sinalizou com um cronograma de repasses de recursos para dar condições de trabalho necessárias para os servidores que atuam na sede do Detran e nas Ciretrans.

Assim como nas demais cidades, a unidade de Canarana, também aderiu a greve. A paralisação é por tempo indeterminado, no entanto, segundo a assessoria de imprensa do Detran-MT, o órgão deve funcionar durante o período de paralisação já que 30% dos servidores terão que trabalhar e os comissionados não devem aderir à greve.

“Não estamos reivindicando reajuste salarial, nem qualquer outro benefício remuneratório. Queremos apenas uma entidade mais técnica, organizada e moderna, para prestarmos um serviço eficiente junto à sociedade que paga altas taxas”, afirmou o Sinetran em nota.

Pauta de reivindicações junto ao Governo do Estado:

Administração do sistema DetranNet: que seja feita pelos servidores efetivos do Detran – MT e não mais pelo CEPROMAT que cobra mais de R$ 5 milhões por ano para executar um trabalho que só deixa a desejar;

Reestruturação organizacional do Detran: nossa entidade conta com um número excessivo de cargos comissionados, portanto propomos a redução de 51 cargos e uma nova estrutura mais compacta e eficiente, que resultará numa economia anual de R$ 3 milhões;

Lei complementar que garanta recursos no DETRAN: nossa arrecadação ultrapassa R$ 1 milhão por dia, o que torna o DETRAN – MT um dos mais caros do país, porém estes recursos não são devidamente aplicados na entidade e no trânsito, levando Mato Grosso a ocupar os primeiros lugares em violência no trânsito;

Concurso Público: o último concurso foi elaborado de forma unilateral sem levar em consideração as necessidades a curto e longo prazo o que gerou um déficit de servidores em algumas áreas comprometendo ainda mais a estrutura do DETRAN – MT;

Revogação imediata das leis que terceirizam a vistoria veicular: o DETRAN deve estruturar os setores de vistoria para cumprir os requisitos do CONTRAN e do CONAMA sem aumentar o valor da taxa que hoje é de R$ 18,00;

Servidores de outros órgãos compondo o quadro de pessoal do DETRAN – MT: que todos os servidores municipais e estaduais cedidos ao DETRAN voltem ao seu órgão de origem.

Responder

comment-avatar

*

*