Carriola de agrotóxico? Sim!

Estas embalagens estavam prontinhas, na Andarva, para irem à recicladora

Olha aí uma das coisas bem bacanas que topamos no caminho entre Canarana e Nova Xavantina, a Ardava, que é um posto regional de recebimento de embalagens de agrotóxicos vazias. Estes postos são comuns em regiões agrícolas, mas ficam meio “escondidos” por atuarem praticamente nos bastidores. Sua importância, porém, é fundamental.

Em Canarana, o posto é coordenado por uma mulher, a Eliane Machado. Ela contou que o local recebe embalagens de agrotóxicos, sementes, fertilizantes, papelão e todo tipo de produto que entra em contato com os insumos agrícolas, de produtores de 23 cidades da região do Vale do Araguaia. Em 2012, Eliane estima que o posto receberá 650 toneladas de embalagens. No Brasil todo, segundo o Inpev (Instituto Nacional de Processamento de Embalagens Vazias), em 2011 foram produzidas 31 mil toneladas destes produtos.

Aqui, a entrega segue o padrão nacional: depois de usar o insumo, o produtor rural é obrigado a fazer uma tríplice lavagem ou uma lavagem pressurizada dos recipientes e após fazer isso, ele também tem que furar cada produto, para ter certeza de que ele nunca mais será utilizado indevidamente.

Enquanto aguarda para juntar todas as embalagens, o produtor tem que guardar os galões vazios em um depósito construído especialmente para esta finalidade na propriedade, de acordo com o tamanho de sua produção. Este depósito, segundo Eliane, não pode ficar esquecido. “O depósito serve apenas para que o produtor rural possa reunir uma quantidade maior de embalagens para trazer ao posto de recebimento”. Depósitos muito cheios, segundo ela, são fiscalizados e punidos pelo Ibama.

Então, por meio de um agendamento, o produtor encaminha toda a carga para o posto de recebimento, em caixas ou sacos chamados Big Bags ou Sacos de Resgate. Lá, depois de tratados com produtos especiais, todo o material é encaminhado para empresas que fazem a reciclagem e então, o que era uma embalagem de agrotóxico se transforma em objetos para o setor da construção civil, como carriolas, pás e carrinhos de transporte de pequenas cargas

vivianetaguchi Globo Rural

Responder

comment-avatar

*

*