Chegada de ferrovia a Lucas fica incerta após denúncias de propina

Estava tudo planejado e a Ferrovia da Integração Leste Oeste (Fico) cortaria Mato Grosso, passando por Água Boa (743 km de Cuiabá) e chegando a Lucas do Rio Verde (350 km da capital), com o trem apitando em dezembro de 2012, garantiu, recentemente, ao Olhar Direto, o presidente da Valec Engenharia, José Francisco das Neves, o ‘Juquinha’.

Porém, o trem pode ter descarrilado antes mesmo da malha férrea existir, com a determinação da presidente Dilma Roussef de afastar Juquinha do comando da Valec e Luis Antônio Pagot da chefia do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit). A presidente também mandou cancelar os projetos que não foram iniciados e, com isso, a chegada da Fico a Lucas do Rio Verde é incerta.

Conforme reportagem da revista Veja, que circula neste domingo, Juquinha estava acertando quais empresas participariam da elaboração dos projetos para construção da Fico, sob o ‘manto’ de um esquema de corrupção – que, segundo a revista, era comandado pelo deputado federal Valdemar da Costa Neto, presidente de honra do Partido da República (PR).

A última página da reportagem revela que, em 4 de agosto de 2010, houve reunião mensal do conselho administrativo da Valec – na pauta estava a ferrovia – e um dos conselheiros quis saber de Juquinha, quando seriam definidas as empreiteiras que trabalhariam na construção dos trilhos. Juquinha teria respondido que, “a escolha das empresas será feita em um jantar na casa do doutor Valdemar da Costa Neto”.

Na esteira da denúncia, a Veja sustenta que o deputado mineiro Mauro Lopes (PR), há dois anos, pretendia apresentar as credenciais de uma empresa de consultoria na Valec para participar dos projetos. Juquinha teria respondido que, “se o Valdemar autorizar, eu coloco para trabalhar”.

Em entrevista ao Olhar Direto, no final de maio, Juquinha mostrou-se entusiasmado com a Ferrovia Centro Oeste, pois seria uma das ferrovias que mais proporcionaria economia às empresas e produtores que exportarem grãos, usando os trilhos da Valec para fazer chegar a produção até os portos. Isto porque, qualquer empresa poderia colocar trens próprios para escoar os produtos.

A Valec não concederia a concessão a uma única empresa, mas sim venderia capacidade de transporte de carga. Assim, a malha ficaria sob a “batuta” da Valec e a gestão também, eliminando o monopólio no transporte ferroviário.

A Fico estava programada para ser executada em duas etapas. A primeira fase começaria em Campinorte (GO), onde se integra à Ferrovia Norte-Sul. Dali, a ferrovia cortaria o Estado de Mato Grosso até chegar a Lucas do Rio Verde, num trecho de 1.040 quilômetros. Nesta etapa o investimento previsto era de R$ 4,1 bilhões, recurso que sairia do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC).

 

Fonte:Olhar Direto

Responder

comment-avatar

*

*