Condições da BR-158 serão cobradas do governo federal

Entre os dias 18 e 22 de julho, a Associação dos Produtores de Soja e Milho de Mato Grosso (Aprosoja) e o Movimento Pró Logística realizaram a segunda edição do Estradeiro da BR-158. No total foram percorridos 4,3 mil quilômetros nos estados do Pará, Tocantins, Goiás e Mato Grosso. Esta ação teve como objetivo avaliar a situação das rodovias e vistoriar as principais obras federais e estaduais que irão auxiliar o escoamento da produção agrícola da região Nordeste do estado.

Na avaliação do diretor administrativo da Aprosoja, Carlos Fávaro, que integrou a equipe do Estradeiro, foi possível conhecer de perto a situação das estradas. “Percorremos as rodovias federais: BR-158, BR-155, BR-230 (Transamazônica), BR-153, além de dezenas de rodovias estaduais. Agora iremos elaborar um relatório com a situação das obras, que será encaminhado ao governo federal no sentido de buscar solução para os problemas encontrados”.

A BR-158 se destaca por representar uma importante via para o desenvolvimento da região Nordeste de Mato Grosso. A região, que inclui de Barra do Garças a Santa Cruz do Xingu, é considerada a nova fronteira agrícola de Mato Grosso por dispor de três milhões de hectares de pastagens que podem ser utilizadas na produção de grãos, segundo dados do Instituto Mato-grossense de Economia Agropecuária (IMEA).

Segundo informações do coordenador executivo do Movimento Pró Logística, Edeon Vaz, a implantação da BR-158 e da BR-155, possibilitará a redução do custo do frete rodoviário no estado. “Daqui a 10 anos, se as obras previstas se concluírem, a região do Vale do Araguaia será a melhor posicionada em termos de infraestrutura e logística, pois irá dispor de várias alternativas de escoamento, entre elas a Ferrovia de Integração Leste Oeste (Fico); a BR-080; a ferrovia Norte/Sul, além da conclusão da BR- 251, prevista para esse mesmo prazo”.

As entidades parceiras do Movimento Pró Logística são: Federação da Agricultura e Pecuária de Mato Grosso (Famato); Associação Mato-grossense dos Produtores de Algodão (Ampa); Associação dos Produtores de Soja e Milho de Mato Grosso (Aprosoja); Associação dos Criadores de Mato Grosso (Acrimat); Federação das Indústrias no Estado de Mato Grosso (Fiemt); Federação do Comércio do Estado de Mato Grosso (Fecomércio/MT); Associação Mato-grossenses dos Municípios (AMM); Conselho Regional de Engenharia, Arquitetura e Agronomia de Mato Grosso (CREA/MT); Organização das Cooperativas Brasileiras (OCB); Instituto Ação Verde; Frente Parlamentar de Logística (Frenlog) estadual e federal.

Fonte:Agronoticias

Responder

comment-avatar

*

*