Conselho Estadual de Direitos da Mulher repudia festa que fez oferta de “rodízio” de mulheres em Canarana

CONSELHO ESTADUAL DE DIREITOS DA MULHER DE MATO GROSSO/ CEDM-MT

NOTA DE REPÚDIO

O Conselho Estadual de Direitos da Mulher de Mato Grosso, CEDM/MT, vem por meio desta manifestar de modo veemente seu repúdio em relação à festa “rodízio Open Pepeka” que iria ocorrer na cidade de Canarana/MT no dia 8 de março.

Felizmente, graças à repercussão negativa nas mídias sociais, a “festa” foi cancelada por ordem do Juízo da Comarca de Canarana.

No entanto, o cancelamento do evento não diminui a gravidade do fato que requer atenção, posicionamentos e providências por parte da sociedade e das autoridades, especialmente, do Ministério Público.

A citada “festa” apresentou um cartaz de divulgação que estampava o título “Rodízio Open Pepeka” e trazia “25 modelos” em foto apenas de calcinha expostas como “carne para o prometido rodízio”.

Em tempos como os que vivemos nos quais as mulheres lutam, a duras penas, contra o preconceito, a discriminação e as diversas manifestações da violência essa forma de tratá-las, tal como se fossem “meros objetos para servir de satisfação aos desejos dos homens”, é um profundo desrespeito.

O quadro se agrava quando consideramos que o dia em que a “festa” iria acontecer era o 08/03, “Dia Internacional da Mulher”. Ou seja, justamente, na data criada para homenagear as mulheres e suas lutas por direitos e cidadania numa sociedade de predomínio patriarcal e marcada intensamente pelo machismo como a nossa.

Desta feita, fica nítida a tentativa de desqualificar um momento que é significativo para as mulheres no mundo todo no qual são propostas reflexões e desencadeadas ações com a intenção de combater as desigualdades de gênero.

Acrescido à esse contexto lamentável há sérios indícios da prática criminosa do lenocínio, tipificado nos artigos 227 ao 230 do Código Penal, diante da exploração, estímulo e facilitação da prostituição que precisa ser investigada com rigor pelo Ministério Público.

Perante os fatos há ainda a necessidade imperiosa de que seja apurada a possibilidade da existência de outros crimes, particularmente, o tráfico de pessoas.

O CEDM/MT espera que o Ministério Público, tendo em vista o princípio que o rege de “defender os interesses sociais”, atue com todo empenho na investigação dos fatos que são muito graves.

Não é “corriqueiro” que mulheres sejam apresentadas como se fossem “carne para rodízio” numa festa. Ao contrário, é bastante preocupante, considerando os altos índices de violência contra a mulher que temos presenciado em nosso estado.

Infelizmente, Mato Grosso tem se tornado um lugar extremamente perigoso para as mulheres pelo crescente aumento da violência.

A cada seis dias uma mulher é vítima de feminicídio no Estado. Por dia, são 55 mulheres ameaçadas e mais 27 que sofrem lesões corporais. A cada um dia e meio, há uma vítima de estupro.

Os dados fazem parte de levantamento feito pela Coordenadoria de Estatística e Análise Criminal (CEAC) da Secretaria de Estado de Segurança Pública (Sesp-MT).

Até outubro de 2018 houve 45 feminicídios, ou seja, cerca de 70% dos casos de assassinatos de mulheres, que somaram 66 até o referido mês e ano.

Eventos como a “festa Open Pepeka” só fazem fomentar esse problema. Por esse motivo não se pode aceita-los como se fossem acontecimentos “banais”.

Mesmo após o cancelamento da “festa”, o CEDM/MT vai acompanhar esse caso junto ao Ministério Público.

A entidade compreende que todas as expressões da violência contra as mulheres devem ser coibidas e punidas com o objetivo maior de construir uma sociedade igualitária na qual reine a justiça e a paz.

Fonte:

CONSELHO ESTADUAL DE DIREITOS DA MULHER DE MATO GROSSO/ CEDM-MTNOTA DE REPÚDIOO Conselho Estadual de Direitos da…

Posted by CONSELHO ESTADUAL DOS DIREITOS DA MULHER DE MATO GROSSO on Friday, February 22, 2019

Responder

comment-avatar

*

*