Coronel chora e diz que pôs fim à propina e corrupção na Polícia Militar

De Barra do Garças – Ronaldo Couto

Foto: Ronaldo Couto – olhar direto
Coronel chora na passagem de comando. Sua saída é atribuída a interferência política
Coronel chora na passagem de comando. Sua saída é atribuída a interferência política

Durante a troca de comando do 5º Comando Regional da Polícia Militar (CRPM), Barra do Garças, o coronel Valdemir Barbosa chorou ao agradecer a tropa e a população pelo apoio que ele recebeu durante quatro anos e desabafou ao dizer que durante o seu comando cessaram as denúncias de propina ou corrupção dentro da PM no Araguaia. Barbosa relembrou com isso que ele assumiu a PM na região num momento critico onde havia denúncias de participação de militares inclusive coronéis no esquema de grilagem de terras no Araguaia.

Visivelmente emocionado, Barbosa foi estritamente militar e não tocou em momento algum nas especulações de que a sua saída teve motivação política após divergências com prefeito de Barra do Garças Wanderlei Farias.

O coronel destacou que se tornou o terceiro comandante a ficar quatro anos a frente da PM no Vale do Araguaia e desejou o mesmo sucesso ao sucessor, coronel Eddie Metello de Siqueira que tomou posse durante uma solenidade marcada as pressas para trocar o comando, na tarde de quinta-feira (24). “Saio com sentimento do dever cumprido e que fiz vários amigos na região do Araguaia”, completou.

O comandante-geral da Polícia Militar (PM-MT), coronel Osmar Lino Farias, negou qualquer interferência política na saída de Barbosa e explicou que a mudança de comando é normal e parte do planejamento da PM de estar oxigenando os comandos regionais. O deputado estadual Baiano Filho (PMDB) prestigiou a troca de comando e voltou a reiterar que não tem nada haver com a saída de Barbosa. “Eu sou homem e se tivesse alguma coisa com isso eu não teria coragem de olhar na cara do Barbosa e não poria os pés aqui”, destacou.

Durante entrevista na Tv Serra Azul de Barra do Garças, programa Balaio de Gato do apresentador Seli Rosa, o coronel Barbosa admitiu que houve interferência política na sua saída, porém não citou nomes alegando que é militar e como tal não questiona os superiores.

Na mesma quinta-feira, pela manhã, o comando da PM fez outra alteração desta vez no 16º batalhão de Primavera do Leste onde saiu o tenente-coronel Marcos Roberto, cuja queda também é atribuída a pedido político do prefeito Getúlio Viana. O novo comandante em Primavera é o tenente-coronel Ávila.

  • Fotos: Ronaldo Couto

Responder

comment-avatar

*

*