Corpos serão sepultados em Cuiabá para manutenção de geladeira do IML

A maioria dos corpos não foi identificado e está no IML há mais de 30 dias.
Enterro está previsto para a próxima semana, segundo diretor do IML.

Os corpos que estão no Instituto Médico Legal (IML), em Cuiabá, aguardando a liberação por parte de familiares, serão enterrados na próxima semana, para a manutenção de uma das geladeiras da unidade. De acordo com o diretor da instituição, Dionísio José Bochese Andreoni, o enterro dos corpos deve ocorrer na semana que vem. Alguns já estão no local há mais de ano. Ainda não foi definido quantos corpos serão enterrados.

“Quanto mais tempo deixamos, mais chance há da família aparecer”, disse o diretor. Porém, segundo ele, o prazo-limite para o sepultamento é de 30 dias. Se nesse período, os familiares não aparecerem, o corpo é enterrado sem identificação. Mas, para eventual procura da família, é coletado o material genético. Com isso, é possível identificar posteriormente a pessoa que foi sepultada. Apesar desse prazo, há corpos que estão no local há mais de um ano.

Andreoni explicou que há vários corpos que já deveriam ter sido enterrados, mas, enquanto houver espaço, eles os deixam no local. “Há muitos corpos lá, então, para fazer a manutenção, precisamos desligar uma das geladeiras”, disse. Cada câmara fria, possui espaço para guardar 12 corpos e as duas existentes no IML estão lotadas. A manutenção começa na próxima segunda-feira (6) e deve terminar até o final da semana.

Algumas das pessoas sepultadas não foram identificadas. Outras foram, mas as famílias não apareceram para fazer o enterro. “Nem todos são indigentes, nome dado àqueles que não tem condições financeiras. Alguns devem até ter, mas a família não apareceu no IML à procura da pessoa”, disse o diretor do IML.

A manutenção deve durar aproximadamente cinco dias. Deve demorar de dois a três dias o conserto, no entanto, a geladeira deve ser desligada pelo menos dois dias antes. “As duas [geladeiras] vão passar por manutenção, mas, primeiro será uma, e depois outra”, afirmou Dionísio. Ele explicou que não devem ser sepultados a metade dos corpos, nesse caso, 12. “O que couber, colocaremos na outra”, pontuou.

Conforme ele, a menutenção é feita com frequência, porém, na maioria das vezes não é preciso desligar a geladeira. Pelo menos uma vez por mês, são feitos ajustes. G1.MT

Responder

comment-avatar

*

*