Correios: 70 mil encomendas estão paradas em Mato Grosso

Greve dos funcionários teve início há mais de uma semana; categoria quer reajuste salarial.

A greve dos correios está prejudicando quem espera pela entrega de correspondências e encomendas. De acordo com o sindicato da categoria, sete mil correspondências e 70 mil encomendas estão paradas no Centro de Entrega de Encomendas (CEE), no Estado.

Os trabalhadores decidiram por permanecer em greve após rejeitarem a proposta do acordo coletivo, feita pelo Tribunal Superior do Trabalho (TST).

O coordenador do Sindicato dos Trabalhadores na Empresa de Correios, Telégrafos e Serviços Postais de Mato Grosso (Sintect-MT), Alexandre Aragão,  o expediente segue com a equipe reduzida e mantendo 30% do efetivo, conforme previsto em lei.

Porém as entregas de correspondências e encomendas estão paradas.

“Nós estamos realizando os atendimentos estabelecidos pela lei, mas entregas quase não estão sendo feitas”, afirmou.

A paralisação, iniciada nacionalmente na última quarta feira (16), já completa nove dias e segue sem previsão de término em Mato Grosso, mesmo após vários sindicatos do país terem encerrado o movimento.

Além da Grande Cuiabá, as cidades de Rondonópolis, Sinop, Alta Floresta, Primavera do Leste e Sorriso também estão com o efetivo reduzido.

Reivindicações

Os funcionários cobram reajuste salarial de 12%, mais R$ 300 de aumento linear, além de investimento em segurança nas agências.

A proposta feita pelo TST previa reajuste de R$ 200 e com acréscimo em forma de gratificação, sendo R$ 150 em agosto passado e R$ 50 em janeiro de 2016. Com isso, o total do aumento chegaria a quase 15% sobre o salário base inicial, que é de R$ 1.676,34.

De acordo com o sindicalista Alexandre Aragão, a categoria vai se reunir nesta quinta-feira (24) com os servidores públicos federais em ato em frente a Praça da República, em Cuiabá, a partir das 8h. Jad Laranjeira/Mídia News

Responder

comment-avatar

*


*