Corrida reúne policiais e comunidade em prol da prevenção às drogas

Cerca de mil competidores compareceram na manhã deste domingo (06.10) para a 4ª Corrida de Rua do projeto “De Cara Limpa Contra as Drogas”, realizada pela Polícia Judiciária Civil de Mato Grosso. Às 07h7 as mulheres largaram em frente à biblioteca da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT) e entre subidas e descidas percorreram 6 quilômetros do percurso da corrida.  Um minuto depois foi vez dos homens iniciarem o trajeto, do bairro Boa Esperança passando por ruas até o trevo do Pedregal.

 O delegado geral da Polícia Judiciária Civil, Anderson Garcia, destacou a consolidação da corrida no calendário de eventos esportivos de Cuiabá.  “Esse evento é a mostra do sucesso que estamos tendo frente ao combate as drogas. Sabemos que droga é o mal que assola o país, que assola o mundo. Mas, o importante é essa geração saúde, onde verificamos a participação de toda a sociedade e dos nossos policiais, que dão exemplos aos nossos jovens”, disse.

 Parceiro na organização da corrida, o secretário municipal de Esporte, Carlos Brito, também ressaltou a consolidação do evento na agenda de Cuiabá. “A participação da Prefeitura é uma comprovação dessa parceria. Faz parte desse enfrentamento as drogas, além do trabalho de polícia,  esse trabalho de interação, de integração social. Vamos criando momentos, oportunidades para que nossa população possa usufruir de coisas boas. Essas agendas são extremamente positivas para Cuiabá”, pontuou.

 Um dos competidores, o secretário adjunto de Segurança Pública, coronel Antônio Moraes, disse que a corrida De Cara Limpa Contra as Drogas mostra integração dos órgãos de segurança. “Isso significa que segurança pública vai muito além de ações policialesca. Minha perspectiva pessoal é fazer essa corrida em menos de 30 minutos”, afirmou.

 Os cinco primeiros colocados de cada uma das categorias: delegada, escrivão, investigador e geral, feminino e masculino,  receberão medalhas e o valor em  dinheiro de R$ 400,00 para o primeiro colocado. O 2º lugar recebeu  R$ 200,00; o 3º 150,00. O 4º e 5º lugar R$ 100,00 e R$ 50,00, respectivamente. Todos os participantes ganharam medalha

 Em primeiro lugar, na categoria Geral, o atleta Wendell Jeronimo de Souza, cruzou a linha de chegada com 19 minutos e 56 segundos. Ele disse que saiu de Pontes e Lacerda para competir na sua 8ª corrida deste ano. “O percurso estava um pouco mais puxado do que ano passado. Mas foi tranquilo”, afirmou.

 A escrivã Franciléia de Oliveira, bi campeã da corrida De Cara Limpa Contra as Drogas, disse que estava treinando para manter o primeiro lugar. Ela que já participou de 3 edições da corrida avalia a corrida como uma forma de integrar os policiais. “Acho ótimo essa integração, pois aqui é o lugar onde os policiais se encontram”, observou.

 O investigador Rodrigo Casques Pedroso, da Delegacia Fazendária, disse que seu objetivo era terminar o percurso, mesmo não estando entre os primeiros colocados. “Achei muito bem organizado e entrega de medalha na chegada é um incentivo aos participantes”, avaliou.

 O escrivão Joel Mesquita de Souza saiu de Tangará da Serra para correr pela primeira vez no evento do projeto De Cara Limpa Contra as Drogas. O policial ficou com o primeiro lugar de sua categoria, escrivão. “Vim com a incumbência de ganhar e voltar com a medalha. Graças a Deus deu certo”, afirmou. “Esses eventos possibilita rever os colegas”, acrescentou.

 Para o casal de delegados de Pontes e Lacerda, Caio Fernando de Albuquerque, Núbia Beatriz Gomes dos Reis Albuquerque, primeiro lugar, no masculino, e segunda classificada, no feminino, na categoria delegado de polícia, a prova mostra à sociedade a importância da prevenção e  repressão ao combate as drogas. Isso é muito importante para a Polícia Civil e também a interação com a sociedade”, disse a delegada Núbia. “Além da atividade física que é primordial na atividade policial”, completou o delegado Caio.

 Para Barra do Garças, o investigador Eládio Crisostemos de Oliveira, levará a medalha e a premiação do primeiro lugar de sua categoria. Com tempo de 23 min e 1 segundo, o policial disse pela terceira vez participa da corrida, mas desta vez achou o percurso mais difícil. “Sempre pratico a corrida porque para nossa profissão é importante estar preparado”, salientou.

 A investigadora Tatiane Schmidt  Gonçalves, de Primavera do Leste, pelo segundo ano ficou em primeiro lugar na competição. “Em Primavera do Leste temos três delegacias.  Nas outras edições só eu representei. Esse ano a gente já veio com uma galera de cinco policiais e mais uma equipe de Rondonópolis”, destacou.

 Ao final do evento, a delegada Alana Cardoso, coordenadora do projeto De Cara Limpa Contra as Drogas, que também correu e legou o primeiro lugar na categoria delegado, declarou que 4ª edição da corrida de De Cara Limpa Contra as Drogas só foi possível ser realizada graças às parcerias do Estado, da Prefeitura, do Exercito Brasileiro, dos órgãos de segurança envolvidos e da comissão organizadora que durante todo o ano ‘correu’ de apoios para que o evento acontecesse neste domingo.

 “Esse é um evento caro, que não seria possível sem apoio de todos os que estão aqui”, agradeceu. “A corrida é uma forma de congregar a participação de policiais e da  família e vem se consolidando como a corrida da Polícia Civil”, afirmou.

 Melhor Idade.

 Além dos jovens, a corrida De Cara Limpa Contra as Drogas é um evento que congrega a participação dos idosos. Neste ano, os participantes da terceira idade receberam homenagens no pódio pelo exemplo de saúde e disposição. O senhor Cedil Pereira de Lima, 87 anos, participa todos os anos da corrida do projeto. Ele fez questão de afirmar que nas corridas que se inscreve nunca termina o percurso em último lugar. “Nunca fui dos últimos sempre chego antes. Agradeço a saúde que tenho e atividade física que pratico”, incentivou. LUCIENE OLIVEIRA Assessoria/PJC-MT

Responder

comment-avatar

*

*