Crimes de Homicídios reduzem no Estado de Mato Grosso

Os crimes de homicídios dolosos reduziram no Estado de Mato Grosso. Em 2012, a Polícia Judiciária Civil registrou 908 assassinatos conta 935 no ano de 2011. A queda foi de 2,88%, representando 27 vidas preservadas.
Para o delegado geral da Polícia Judiciária Civil, Anderson Aparecido dos Anjos Garcia, os números são reflexos dos esforços da Segurança Pública em reduzir os índices de criminalidade no Estado de Mato Grosso, com investimento na repressão ao tráfico de drogas na fronteira e incremento em equipamentos e pessoas. “Na Polícia Civil tivemos o incremento de novos investigadores, escrivães, no final de 2011 e novos delegados em 2012, além de investimentos em viaturas e softwares para auxiliar nas investigações, impulsionando os trabalhos e motivando os policiais”, afirmou.
A Capital do Estado, Cuiabá, com uma população de 551.098 habitantes, conforme o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) registrou queda de 6,95% homicídios. De 230 assassinatos em 2011 para 214 no ano de 2012. Já no município de Várzea Grande, com população de 252.596, houve aumento de 14,4% dos crimes em relação a 2011. De 125 casos subiu para 143 em 2012.
Do total de 357 homicídios registrados em Cuiabá e Várzea Grande, 76,19% tiveram a autoria descoberta pela da Delegacia Especializada de Homicídio e Proteção a Pessoa (DHPP), somando 272 crimes esclarecidos em investigações conduzidas pela unidade.
Para o delegado titular da Delegacia Especializada de Homicídios e Proteção a Pessoa, Silas Tadeu Caldeiras, os números de região metropolitana estão num  patamar elevado. “Em Cuiabá e Várzea Grande a média é de um por dia. Esse índice é altíssimo”, analisa.
Silas acrescentou que neste ano, a Delegacia em parcerias com os projetos sociais da PJC, irá trabalhar a conscientização das pessoas pela valorização da vida e incentivar a população a denunciar suspeitos de crimes. “Vamos focar atenção especial nos bairros com maiores índices de homicídios, buscando a valorização da vida e o encorajamento das pessoas nas denúncias”, afirmou.
Nas duas maiores cidades do Estado foram assassinados 321 homens e 36 mulheres. O meio mais empregado para a prática dos crimes foi à arma de fogo, com 250 mortes ocorridas por disparo de arma; 75 provocada com uso de arma branca (faca); 23 com instrumentos contundentes (paus e pedra) e 9 por outros meios.
Quanto a motivação, 118 homicídios dolosos estão ligados a drogas, uso ou tráfico, com 33,05% dos crimes. Em seguida vem rixa (61 casos), passional (39 mortes), vingança (32), álcool (20), resistência à prisão (10), legítima defesa (5), ambição (4) e 68 ainda sem definição da motivação.
Os jovens, com idade entre 19 e 25 anos, somam 123 casos.  Abaixo vêm pessoas na faixa de 31 a 40 anos, com 67 mortes e os jovens adultos, na faixa etária de 26 a 30 anos, representando 54 mortes. De 13 a 18 anos foram 40 vítimas e de 0 a 12 anos, 5 crianças. Acima dos 40 anos ocorreram 43 homicídios dolosos e 25 mortes estão sem idade definida.
Domingo, segunda, quarta, sexta-feira e sábado,  principalmente, durante a noite e madrugada (18h às 6h), foram os dias e horários com maiores registros de mortes, 309, ao todo.
Vítimas e Bairros
Na Capital, 186 homens e 28 mulheres foram assassinados. Dos crimes ocorridos em Cuiabá no ano passado, 81,31% foram esclarecidos, com 174 autorias reveladas. Em Cuiabá os principais bairros foram Dom Aquino (8), Pedra 90 (8), Morada da Serra (7), Porto (7), Altos da Serra (6), Alvorada (6), Dr. Fábio (6), Jardim Vitória (6), Pedregal (6) e 1º de Março (5).
Em Várzea Grande, foram 135 homens e 8 mulheres mortas de forma violenta. Em 68,53 % dos crimes, os autores foram identificados, representando 98 casos solucionados. Os principais bairros foram São Mateus (11), Jardim Eldorado (10), Cristo Rei (8), Mapim (7), Centro (5), Cohab Tarumã (5), Jardim Alá (5), Jardim dos Eldorados (5), Colinas Verdejantes (4), Jardim Glória (4),Jardim Marajoara (4).
Latrocínios
Em Cuiabá os latrocínios (roubo seguido de morte) caíram  de 14 para 6, nos anos de 2011 e 2012. Em Várzea Grande, os crimes aumentaram de 13 para 16.
O delegado geral, Anderson Garcia, disse que a redução dos roubos seguidos de morte (latrocínios) na Capital está associado ao trabalho da Delegacia Especializada de Roubos e Furtos (Derf), que tem atuação forte no núcleo de inteligência. Segundo ele, para reduzir os crimes contra o patrimônio em Várzea Grande houve reforço de mais um delegado na Delegacia de Roubos e Furtos e investimento no núcleo de inteligência, que passará atuar nos mesmos moldes da unidade de Cuiabá, que tem recebido elogios do Ministério Público Estadual.

Responder

comment-avatar

*

*