DEPUTADA AVALIA DISCURSO DE DILMA EM MATO GROSSO

Para a parlamentar a produção do Mato Grosso aumenta vertiginosamente a cada ano e a União demora a investir em logística

 

As garantias dadas pela presidente Dilma, em visita ao Estado, ontem (11.02) para lançamento da Safra 2013/14, que deve acontecer integração entre os modais ferroviário, hidroviário e rodovia. E ainda investimentos em ferrovia (FICO), hidrovia e a concessão de rodovias em três trechos associados ao escoamento de grãos do Centro-Oeste devem ser efetivamente cobradas pelo setor produtivo e pelos representantes do povo, os deputados. Esta foi a avaliação da deputada Luciane Bezerra (PSB-MT) após a estada da presidenta em Lucas do Rio Verde (350 km de Cuiabá)

Durante a visita o ministro dos Transportes, César Borges, anunciou as concessões de rodovias em cinco trechos: BR-163 entre Sinop (MT) e o Porto de Miritituba (PA) e dois trajetos da BR-364 entre Rondonópolis (MT) e Goiânia e entre Jataí (GO) e o Triângulo Mineiro. Com o leilão desses trajetos o governo consolida a criação de um corredor rodoviário rumo aos portos do norte do país, o que aliviará a pressão que todos os anos trava os portos de Santos (SP) e Paranaguá (PR)

“Produção do Mato Grosso aumenta vertiginosamente a cada ano e os investimentos em logística caem ou são bem inferiores. Espero que o governo, que demorou para se atentar a isso cumpra com todas estas garantias até o fim do ano, e faça a concessões”, disse.

Segundo Luciane anúncio da política de garantia do preço mínimo para o algodão, definida a preço mínimo de R$ 54 a arroba, foi ganho valoroso para animar a categoria. MT já foi maior produtor do país. “Presidenta deveria ter anunciado o preço mínimo aos suinocultores também. Em Mato Grosso, o quarto maior produtor do país e o único com capacidade de expansão, estes produtores geram mais de 30 mil empregos no Estado”, avaliou.

A deputada reforçou ainda espera resposta positiva do Tribunal de Contas da União (TCU) para publicação do edital de construção da Ferrovia de Integração Centro-Oeste (Fico), que ligará inicialmente o município de Campinorte (GO) a Lucas do Rio Verde (MT), e, posteriormente, o município mato-grossense a Porto Velho (RO). Anúncio esperado pelos produtores mas não feito pela chefe do executivo da União.

A parlamentar obteve sinalização positiva do Governo do Estado que seria incluído no Plano Estadual de Logística e Transportes de MT, o um projeto de viabilidade econômica, social e ambiental de linhas ferroviárias para interligar os pontos extremos das regiões noroeste, norte e Araguaia por meio da FICO. O projeto foi apresentado em março de 2013.

 “Podemos ter mais três linhas ferroviárias, uma ligando a Fico ao município de Colniza ou Apiacás, partindo de um terminal em Brasnorte, que atenderá região noroeste. Outra, interligando o terminal de Lucas ao município de Guarantã do Norte, que contemplará a região norte. Por último, interligando o terminal de Água Boa ao município de Vila Rica, integrando toda região do Araguaia”, explicou.

O trecho a ser construído na primeira etapa da Fico sairá de Campinorte (GO), cruzará Mato Grosso no sentido leste/oeste e chegará a Lucas do Rio Verde (MT). Entre Campinorte e Lucas do Rio Verde, os trilhos terão extensão de 1.040 quilômetros. A previsão de conclusão, era este ano, e o investimento será de R$ 4,1 bilhões.

 

Assessoria de Imprensa Deputada Luciane Bezerra PSB-MT

Responder

comment-avatar

*

*