Donos da RNA-TV Confresa-TV Gazeta são acusados de estelionato

Uso de sinal ‘pirata’ de TV no Araguaia tem mercado paralelo

O esquema de   “pirataria” de sinal de televisão na região do Norte Araguaia – e em várias cidades de Mato Grosso – é maior do que imagina. Pior: abriga um mercado paralelo de negócios e preocupante. É o que revela o empresário de Vila Rica, Everaldo Simões, ao denunciar uma ação que ele caracteriza como estelionato, feita pelo diretor da RNA-TV Confresa que é responsável pela TV Gazeta – Canal 12 e também pela TV Líder SBT – Canal 19- Confresa –  esse último sem autorização da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel)  para funcionar.

O empresário contou que no fim do ano de 2010 o apresentador, sócio da RNA-TV e Presidente do PPS em Confresa, Ilário Tavares e Jean Karlos, também Diretor da RNA-TV, o procuraram em Vila Rica com uma proposta de vender parte do direito de concessão que Jean tinha da TV Gazeta de Cuiabá. O valor acertado foi de R$ 75 mil,  correspondente a 50% dos direito de concessão de uso da Gazeta Cuiabá.

Simões,  que se declara leigo no assunto, disse que acreditou principalmente em Ilário Tavares, já que os dois eram militantes do mesmo partido o PPS na época, e por isso fez o negócio sem investigar muito. “Eu acreditei, achei que ele por ser um líder do Partido na região poderia confiar e fiz o negócio”, lamenta Simões.

O empresário ainda afirmou que Ilário Tavares usou de influencia política para lubridia-lo. “É obvio que ele se aproveitou do cargo que tinha dentro do PPS para me enganar porque eu tenho certeza que ele sabia exatamente o que estava fazendo”, denunciou Everaldo Simões.

Ele contou que fez uma espécie de recibo e um contrato que ele considerou fajuto,  com Jean Karlos Rodrigues Pereira, responsável pela empresa LF de Souza Rodrigues ME – de Confresa a qual de acordo com o recibo emitido por Jean,  comprou da Record de Cuiabá o direito de concessão de Transmissão. Ainda segundo o mesmo documento apresentado, o valor do contrato envolvendo a negociação em Vila Rica era de R$ 75 mil, sendo que no dia 20 de dezembro de 2010, a empresa Vila Riquense de Radio e Televisão Ltda, fez um deposito para a conta da COLNET Internet – que na época pertencia à Jean Karlos, o valor que teria sido a entrada do negócio foi de R$ 35 mil, sendo que Simões ainda faria mais dois repasses de R$ 20 mil cada um.

 “Eu não conhecia esse Jean Karlos, mas o Ilário Tavares me indicou eu confiei e fiz o negócio, eu não entendi bem como funcionava quando abri o olho, percebi que fui enganado” – disse Simões.

Antes de perceber que tinha sido enganado e acreditando na realidade do canal em Vila Rica, Everaldo Simões que é bastante respeitado pela classe empresarial e política da região, comprou um imóvel, fez a reforma tudo dentro dos padrões para funcionar a TV local, ele ainda instalou torre, comprou antenas e aguardou. Dias depois ele contou que Jean Karlos apareceu em Vila Rica com um transmissor com o canal 7, e que colocou a TV no ar repetindo o sinal da TV Gazeta de Cuiabá que pertence ao empresário Dorileo Leal.

Satisfeito, o sinal ficou retransmitindo, até que Simões foi alertado, de que aquele canal era pirata, ou seja, não constava no plano básico da Anatel, simplesmente aquele canal não existia, assim como não existe outorga de canal para a TV Gazeta em Vila Rica, apenas para a TV Cidade Verde-Bandeirantes que tem o canal 09 e para a TV Centro América no canal 11.

“Quando me falaram que era ‘pirata’ tirei o transmissor imediatamente da tomada, e desliguei, e o equipamento está aqui até hoje, nunca mais liguei porque nunca fiz e não gosto de coisas ilegais, sempre fui certo com meus negócios e jamais me envolveria com esse tipo de coisa”, disse revoltado Simões, enquanto mostrava toda a estrutura construída para que a televisão funcionasse.

Simões ainda disse que por diversas vezes procurou Jean para tentar fazer um acerto e reaver o dinheiro de volta, porém ele sempre tratou com desdém e com grosserias, em uma certa vez um sócio seu veio a Confresa para fazer um acerto, na época Jean chegou a dizer para o homem, que aquele papel que ele tinha assinado não valia nada.

“Isso é absurdo demais, é inadmissível, uma pessoa como eu ser enganada assim por dois estelionatários, levaram o meu dinheiro, me deixaram um transmissor pirata, e nunca veio ninguém da Record aqui, vou entrar judicialmente contra eles, e não vou mais aceitar isso calado, eu tenho uma revolta muito grande, porque nunca achei que com a idade que eu tenho ainda fosse cair em contos de vigários assim”, desabafou Simões.

Jean karlos R. Pereira que também é Ddretor de eventos da Associação Comercial e Empresarial de  Confresa, afirma ter documentos assinados por Roberto Dorner, proprietário do Grupo Rondon de Televisão e suplente de Deputado Federal, que lhe garantem o direito de uso do Canal 19 em Confresa e  diz ser proprietário da Rede Gazeta a Record no Araguaia, e que comprou o Direito de Concessão de uso da Gazeta de Cuiabá do empresário Dorileo Leal.  Ele por diversas vezes publicou no site da rnatv.com.br, que estava ampliando as emissoras do Grupo RNA TV na região que pertenceriam a ele e a Ilário Tavares que em 2010 ensaiou uma candidatura à deputado estadual e em 2012 foi candidato a prefeito, usando escancaradamente o canal para benefícios políticos, numa verdadeira perseguição a atual administração e qualquer um que cruzem os caminhos do Grupo.

Em Confresa um empresário que preferiu não se identificar por temer retaliações disse que Jean estaria colocando o canal 12 que pertence legalmente à Gazeta de Cuiabá à venda, o valor pedido por Jean Karlos era de R$ 500 mil. Vale ressaltar que de acordo com o Ministério das Comunicações Canais de TV não podem ser vendidos ou negociados por se tratar de concessões públicas. Agencia da Noticia

Responder

comment-avatar

*

*