Educação: Após 38 dias de greve governo apresenta 1ª proposta

O protocolo foi realizado por um funcionário da Secretaria de Estado de Educação (Seduc) na noite desta quarta-feira (18) no acampamento da greve fixado na Capital.

Assembleia Geral está marcada para sexta-feira (20) em Cuiabá

Somente após 38 dias de greve o governador Silval Barbosa (PMDB) apresenta a primeira proposta oficial aos profissionais da rede estadual de ensino. O protocolo foi realizado por um funcionário da Secretaria de Estado de Educação (Seduc) na noite desta quarta-feira (18) no acampamento da greve fixado na Capital. No documento consta calendário para ganho real dos salários dos profissionais e para garantia da hora-atividade aos interinos.

A mensagem do Executivo para os profissionais da educação foi lida pelo presidente do Sindicato dos Trabalhadores do Ensino Público de Mato Grosso (Sintep/MT) Henrique Lopes do Nascimento no acampamento. O presidente lembrou que desde o início da greve foram realizadas reuniões, grupos de trabalho com a participação de representantes da categoria com o governador, deputados e secretário da pasta, mas somente hoje a categoria recebe a 1ª proposta que envolve o salário dos trabalhadores.

De acordo com o documento, a remuneração dos trabalhadores receberia aumento real, a partir de maio de 2014 de 5%, seguindo de 6% em 2015, 7% em 2016 e a partir de maio  de 2017 até maio de 2023 o percentual oferecido é de 7,69% anualmente.

Em relação à hora-atividade, o direito à reserva de horário para as atividades pedagógicas fora da sala de aula, seria aplicada gradativamente em 3 parcelas. Em 2014 os profissionais contratados teriam direito a 1/3 da hora-atividade, chegando a 2/3 em 2015 e a totalidade a partir de 2016.

O calendário para chamamento dos classificados no último concurso público de 2010, que já havia sido apresentado por meio de ofício ao Sintep/MT, foi reforçado na proposta encaminhada à categoria.

Após a leitura da proposta Henrique pontuou a necessidade das trabalhadores avaliarem nos municípios os rumos do movimento. Amanhã (19) devem ser realizadas assembleias locais para avaliar os itens ofertados.

A direção do Sintep/MT irá estudar o impacto nominal e qualitativo dos percentuais conforme a tabela salarial até sexta-feira (20), quando será realizada a assembleia geral da categoria na quadra esportiva da Escola Estadual Presidente em Cuiabá, às 14h. Antes, às 9h, os representantes do Sintep/MT se encontram para uma reunião ampliada na sede do sindicato.

Henrique disse que o posicionamento sobre a proposta será apresentado pela categoria na assembleia, mas antecipa que o documento apresentado não assegura revisão salarial para 2013 como é exigida na pauta de reivindicações.

Greve 2013

A paralisação geral dos trabalhadores da rede estadual de ensino iniciou no dia 12 de agosto, completando hoje 38 dias. O movimento conta com adesão de mais de 90% dos profissionais em Mato Grosso.

Dia 2 de setembro foi estabelecido acampamento em Cuiabá ao lado do Tribunal Regional do Trabalho (TRT) no Centro Político e Administrativo (CPA). Desde o início da greve várias manifestações foram realizadas com objetivo de apresentar a pauta de reivindicações à categoria.

Pauta de reivindicações

-Política que vise dobrar o poder de compra dos educadores em até 7 anos;
-Realização imediata de concurso público;
-Chamamento dos classificados do último concurso;
-Garantia da hora-atividade para interinos;
-Melhoria na infraestrutura das escolas;
-Aplicação dos 35% dos recursos na educação como prevê a Constituição Estadual;
-Autonomia da Secretaria de Estado da Educação (Seduc) nos recursos devidos na área. O Nortão

Responder

comment-avatar

*

*