Em MT, morrem 78,4% mais negros do que brancos

Em Mato Grosso, morrem 78,4% mais negros do que brancos vítimas de armas de fogo. É o que aponta o “Mapa da Violência 2013 – Mortes ‘matadas’ por armas de fogo”, coordenado por Júlio Jacobo Waiselfisz.

Em 2010, foram 442 negros mortos no Estado, enquanto, no mesmo período, a morte de 153 brancos foram registradas.

O estudo avalia dados colhidos em todos os estados do país e no Distrito Federal, durante as décadas de 1980, 1990 e 2000.

A pesquisa aponta que, em Mato Grosso, o número de mortes causadas por armas de fogo diminuíram em 19,3%, entre os anos de 2000 (747) e 2010 (603).

Quando se analisam esses dados em grupos de 100 mil habitantes, percebe-se que a taxa caiu de 29,8, em 2000, para 19,9 em 2010.

Isso garantiu ao Estado, consequentemente, uma queda de posições no ranking nacional, do 4º para o 15º lugar dentre as 27 unidades da federação.

O índice registrado em Mato Grosso é menor, ainda, do que a taxa nacional, que é de 20,4 óbitos a cada 100 mil habitantes.

Dados nacionais

O país ocupa a 9ª posição entre os 100 países com as maiores taxas – inclusive aqueles onde há guerras civis e constantes conflitos armados –, com 38.892 vítimas apenas no ano de 2010.

Nas considerações finais, o estudo destaca que o país – mesmo sem grandes conflitos registrados nos últimos anos – consegue matar mais do que muitos conflitos armados registrados em outros lugares do mundo.

“O Brasil, sem conflitos religiosos ou étnicos, de cor ou de raça, sem disputas territoriais ou de fronteiras, sem guerra civil ou enfrentamentos políticos levados ao plano da luta armada consegue exterminar mais cidadãos pelo uso de armas de fogo do que muitos dos conflitos armados contemporâneos, como a guerra da Chechênia, a do Golfo, as várias Intifadas, as guerrilhas colombianas ou a guerra de liberação de Angola e Moçambique ou toda uma longa série de conflitos armados acontecidos já no presente século”, diz trecho da conclusão.

Motivação

Dentre as mortes em todo o país registradas em 2010, 36.792 pessoas foram vítimas de homicídios, o que revela que 108 pessoas foram assassinadas por armas de fogo a cada dia do ano.

A causa predominante das mortes em Mato Grosso também segue a onda nacional. Das 603 vítimas fatais por arma de fogo registradas no Estado em 2010, 94,2% (568) foram por homicídio.

O mapa aponta que as demais vítimas tiveram como causa suicídio (20) e acidentes (9). Outras seis mortes não tiveram o motivo determinado.

Segundo o estudo, são três as causas que explicam os elevados níveis de mortalidade por armas de fogo registradas no país: facilidade de acesso a armas de fogo, a cultura da violência que ainda impera no país – como exemplo são citadas as mortes causadas por motivos fúteis – e os elevados níveis de impunidade vigentes (baixo índice de elucidação dos crimes de homicídio).

Números da Capital

Cuiabá também registrou queda no número de mortes causadas por armas de fogo entre os anos de 2000 (270) e 2010 (158), equivalente a uma redução expressiva de 41,5% e taxa, em 2010, de 28,7 mortes a cada 100 mil habitantes.

Esse índice fez com que Cuiabá figurasse na 16ª posição, apenas, dentre as capitais do país.

Ranking dos municípios

Quando o foco se volta para as 100 cidades com mais de 20 mil habitantes que possuem as mais altas taxas de mortes causadas por armas de fogo, porém, Mato Grosso volta a aparecer entre as 50 primeiras posições, dessa vez com Colniza (1.000 km ao Norte da Capital).

A cidade, que em 2010 possuía 26.381 habitantes (segundo dados do censo do IBGE), apresentou uma taxa média de 59,5 (a cada 100 mil habitantes), tendo 14 mortes registradas por armas de fogo em 2010 – e todas tiveram o homicídio como causa. Mídia News

Responder

comment-avatar

*

*