Em nove dias, MT registra seis novos casos suspeitos de microcefalia

Novos casos foram notificados em Cuiabá, Rondonópolis e Salto do Céu.
Bebês com microcefalia têm o cérebro com tamanho menor que o esperado.

Bebê com circunferência do crânio menor que 32 cm é considerado portador de microcefalia.

Seis novos casos suspeitos de microcefalia foram registrados em Mato Grosso entre os dias 30 de dezembro e 8 de janeiro de 2016, sendo um em Cuiabá, dois em Salto do Céu e três em Rondonópolis, cidades a 383 km e 218 km da capital, respectivamente. No total, o estado tem 129 casos suspeitos notificados em 14 municípios. Os dados são da Secretaria de Saúde estadual.

Bebês que nascem com microcefalia têm o cérebro menor que o esperado e, em 90% dos casos, têm o desenvolvimento comprometido.

Conforme os números, as cidades mato-grossenses com maior quantidade de casos suspeitos de microcefalia são Rondonópolis, com 69 (sendo 4 gestantes), e Cáceres, com 42. Cuiabá, Salto do Céu, Alto Garças, Itiquira, Pedra Preta e São José do Povo têm dois registros cada. Em Alto Araguaia, Jaciara, Jauru, Pontes e Lacerda, Tesouro e Peixoto de Azevedo foram notificados um caso em cada cidade.

Um dos novos registros notificados pela Saúde do estado é de uma grávida de Cuiabá que passou por exames que mostraram que o feto apresenta malformação cefálica. O outro caso notificado na cidade também é de uma gestante. Ambas foram infectadas pelo zika vírus, transmitido pelo mosquito Aedes aegypti (vetor também da dengue e da chikungunya).

 

MICROCEFALIA

Em novembro de 2015, o Ministério da Saúde emitiu nota confirmando a relação entre o zika virus e a microcefalia, após a realização de exames pelo Instituto Evandro Chagas, em Belém (PA).

Brasil
Desde 22 de outubro de 2015, quando os casos suspeitos de microcefalia em recém-nascidos começaram a ser computados, até o dia 9 de janeiro de 2016, foram notificados 3.530 registros em 724 municípios de 21 estados brasileiros. Também estão em investigação 46 óbitos de bebês com microcefalia, possivelmente relacionados ao vírus zika, todos na região Nordeste.

Zika em MT
Entre 4 de janeiro de 2015 e 2 de janeiro deste ano, 1.815 amostras biológicas já haviam sido encaminhadas ao Laboratório Central do Mato Grosso (Lacen) para diagnóstico. Deste total, 14 deram positivo: dois de Rondonópolis, um de Tesouro, cinco de Cuiabá, cinco de Várzea Grande, na região metropolitana, e um de Vera.

Orientação
O Ministério da Saúde orienta as gestantes a manterem o acompanhamento e as consultas de pré-natal, com a realização de todos os exames recomendados pelos médicos. As grávidas também devem evitar o consumo de bebidas alcoólicas ou qualquer outro tipo de droga, remédio sem prescrição médica e contato com pessoas com febre ou infecções.

As gestantes, assim como o restante da população, devem adotar medidas para combater o mosquito transmissor da dengue, chukungunya e zika vírus, como diminuir os criadouros doAedes aegypti. As grávidas devem ainda usar calça e camisa de manga comprida, e repelentes permitidos para gestantes. G1.MT

Responder

comment-avatar

*


*