Em Ribeirão Cascalheira e Cocalinho: Ibama inicia Operação Tabuleiros em proteção aos quelônios

Cuiabá (28/08/2014) – O Ibama realizou a primeira etapa da Operação Tabuleiros, nesta segunda quinzena de agosto, com o objetivo de impedir crimes de caça e pesca na área da unidade de conservação Refúgio de Vida Silvestre ‘Quelônios do Araguaia’, localizada entre os municípios de Ribeirão Cascalheira e Cocalinho.  Com o apoio da Secretaria Estadual de Meio Ambiente (Sema/MT) e do Batalhão da Policia Ambiental (BPA/MT) foram apreendidos barcos, armas e carnes de animais silvestres, além da aplicação de quase R$200 mil reais em multas.

O Projeto Quelônios do Araguaia (PQA) é desenvolvido pelo Ibama há 28 anos no Rio das Mortes, na região nordeste de Mato Grosso. Uma das atividades do PQA é a catalogação das áreas de postura de ovos de tracajás, posteriormente é realizado o monitoramento da desova à eclosão. Paralelamente se fiscaliza a captura de espécimes e ovos por ribeirinhos, comerciantes locais e turistas. A captura e a coleta de ovos em larga escala, além do comércio desenfreado, se mostram como os principais riscos à manutenção do tracajá e da tartaruga-da-amazônia nesta região do Araguaia, que permeia Terras Indígenas, Unidades de Conservação e propriedades particulares.

Segundo Leandro Nogueira, gerente executivo do Ibama em Barra do Garças, “O rio das Mortes e suas lagoas são um importante berçário de diversas espécies de peixe que povoam os rios e garantem o sustento de ribeirinhos da região do Araguaia”. “A pesca ilegal rio abaixo diminuiu o estoque de peixes no tamanho permitido para pesca e reflete na alarmante situação de invasão de pescadores à Unidade de Conservação, fato gravíssimo quando pensarmos na manutenção do estoque pesqueiro e nas futuras gerações”, pondera Nogueira.

Durante a operação Tabuleiros foram lavrados 31 autos de infração. O mais relevante, R$125 mil, foi aplicado a um vereador de Ribeirão Cascalheira pela captura de 25 espécimes de tracajás. Ele teve suas embarcações apreendidas e os animais foram devolvidos ao rio. Também foi surpreendido um acampamento de pescadores goianos, das cidades de Edéia e Goiânia, com pescado abaixo da medida e carne de animais silvestres.

As apreensões da operação totalizaram 118 quilos de pescado, 32 quilos de carne de animais silvestres e quatro quilos de ovos de tracajá, além dos 25 quelônios vivos que foram devolvidos à natureza. Também foram apreendidos sete barcos, seis motores de popa e um de rabeta, dois motores elétricos, duas espingardas e munições, quatro tarrafas e 14 redes de pesca, que somariam aproximadamente 4 km de comprimento. Os petrechos proibidos foram destruídos, bem como a carne animal e o pescado.

O superintendente do Ibama em Mato Grosso, Marcus Keynes, alertou que manterá o monitoramento da região para impedir novos ilícitos. “Os infratores que ensejaram em crimes ambientais, além das multas e da perda dos bens apreendidos, também responderam por seus atos judicialmente”, afirma Keynes.

A população pode colaborar fazendo denúncias ao Ibama, pelo número 0800 61 8080.

Responder

comment-avatar

*

*