ENCONTRO JUNTO AO ISA TEVE A PARTICIPAÇÃO DE UM PIONEIRO DE CANARANA, QUE HOJE ATUA COMO INDIGENISTA

Um encontro da AXA (Articulação Xingu Araguaia), realizado nos dias 28 a 30 de novembro junto ao Instituto Sócio Ambiental (ISA) de Canarana, contou com a participação do indigenista Edemar Treuherz, membro de uma família pioneira que residiu em Canarana nos anos 1972 e 1973. Em entrevista ao repórter Domingos Finato contou um pouco da história de sua família e sua participação no Projeto de Colonização de Canarana.

O casal Alfredo Treuherz e Ella Kalkmann Treuherz, com seus filhos: Marleni, Noeli, Arno, Elói, Marli e Edemar, participaram do Projeto de Colonização Canarana I, tendo chegado em Canarana no final do mês de agosto de 1972, após uma viagem de dez dias, feita juntamente com a família do também pioneiro Walter Kalkmann.  A família residia na localidade de Centro Novo, na época Município de Tenente Portela e hoje pertencente ao Município de Derrubadas. Durante essa longa viagem, além de outras dificuldades, a lona que cobria a mudança rasgou-se ao passar no meio do cerrado e teve que ser costurada para ser utilizada no barraco construído para abrigar a família até que fosse construída uma casa na Primeira Agrovila, com madeira da primeira serraria construída em Canarana, após duas tentativas frustradas.

Alfredo Treuherz adquiriu um lote de terras do Projeto Canarana I e permaneceu por dois anos na nova colonização. Depois vendeu a sua propriedade e mudou-se com sua família para o Norte do Estado de Mato Grosso, trabalhando com cafeicultura.

Segundo contou o filho mais novo da família, o Edemar, o seu pai Alfredo trabalhou lado a lado com os demais pioneiros no início da construção de Canarana, inclusive ajudou construir as primeiras cinco casas da cidade e ajudou falquejar as madeiras para construção da primeira ponte sobre o córrego João Manuel. Edemar conta que na época tinha nove anos de idade e levava a marmita para o seu pai poder almoçar. “Foram períodos difíceis, mas valeu a pena. Hoje Canarana é uma cidade bonita, graças a esses pioneiros que deram tudo de si para essa história acontecer.”

Edemar hoje reside em Cuiabá e trabalha como indigenista. Os seus irmãos optaram pelo trabalho na área de educação e os pais já são falecidos. Nos dias 28 a 30 de novembro de 2012 esteve em Canarana para participar de uma reunião da AXA (Articulação Xingu Araguaia), uma organização que atua na articulação das diversas organizações que trabalham com povos indígenas, acontecida na sede do ISA, Instituto Sócio Ambiental. A reunião serviu para definir parcerias entre as entidades que vem desenvolvendo diversos trabalhos, entre eles, a rede de sementes crioulas voltada para o reflorestamento.

Responder

comment-avatar

*

*