Equipes fazem levantamento dos estragos provocados pelas chuvas em MT

Três equipes da Prefeitura de Barra do Bugres trabalharam durante todo o domingo (23) para fazer o levantamento dos estragos provocados pelas chuvas dos últimos dias no município. Dois grupos concentraram os trabalhos de mapeamento das áreas afetadas nas comunidades rurais e um na sede do município. A Polícia Ambiental, a Defesa Civil de Mato Grosso e a Superintendência da Fundação Nacional do índio (Funai) também participaram das ações.

Os dados coletados e as coordenadas geográficas serão enviados à Defesa Civil de Mato Grosso para o pedido de situação de emergência, que deverá ser decretado pela Prefeitura nesta terça-feira (25).
Na sede do município ruas foram danificadas e alguns pontos apresentam grandes buracos. Nas margens do Rio Paraguai, além das famílias já retiradas, há diversas casas em situação de risco com a água muito próxima de invadir a residência. Nas áreas rurais próximas a cidade também há famílias ilhadas.
Os trabalhos para a retirada de algumas famílias ribeirinhas iniciaram na última quinta-feira (20) e desde o último sábado (22) as ações se intensificaram. O prefeito Júlio Florindo e todo seu secretariado estão mobilizados na atenção aos moradores ribeirinhos aos rios Paraguai e Bugres e as comunidades rurais.
Aproximadamente 30 pessoas já deixaram suas casas, destas nove estão abrigadas no Salão da Igreja São José, no Bairro Maracanã. No fim da tarde de ontem a Defesa Civil também recebeu um chamado para retirar 12 pessoas das proximidades do pesqueiro G8, porém ao chegar ao local foi informada de que elas haviam deixado suas casas de barco e se abrigado com familiares.

Área rural

O secretário de Infraestrutura e Serviços Públicos, Rogério Gatto, acompanhou uma das equipes da área rural na região dos assentamentos Cabaça e Campo Verde e Estrada do Santana e diz que o cenário é muito preocupante. “Choveu o dia todo naquela região. Nos deparamos com estradas sem condições de trafegabilidade, muitas poças d´água, atoleiros, pontes em risco iminente de cair e a Estrada do Jabuti foi cortada pela chuva”, comenta Gatto.
O secretário informa ainda que sua equipe tentou chegar até a região do Queimado, porém não foi possível devido às condições da estrada. Uma nova tentativa será feita nesta segunda-feira (24).
Na residência de Juscelino, morador do Assentamento Cabaça, a água chega até a varanda e se subir mais 20 centímetros invadirá o imóvel, obrigando a família a se mudar. Sua plantação ainda não foi atingida por que fica na parte mais alta do terreno.
A segunda equipe da comunidade rural percorreu a região do Vão Grande, Camarinha, Baixius e Buriti Fundo. A situação encontrada nestes locais não é muito diferente do Cabaça e Campo Verde.
O prefeito Júlio Florindo tem acompanhado os trabalhos. “Estamos muito preocupados por que a chuva continua e os rios estão subindo”, salienta Florindo.

BARRANEWS

Responder

comment-avatar

*

*