Espíritas do Brasil e exterior reúnem-se em Cuiabá durante o Carnaval

No período de 1 a 4 de março, Cuiabá vai sediar a CONCAFRAS-PSE – Confraternização das Campanhas de Fraternidade Auta de Souza – Promoção Social Espírita, na Universidade de Cuiabá, reunindo aproximadamente 6 mil pessoas de Mato Grosso, Brasil e de vários países.

Fundada há mais de 50 anos, a CONCAFRAS-PSE, foi criada com a finalidade de reunir confrades espíritas que realizavam campanhas de fraternidade para traçar diretrizes e metas de trabalho. Com o sucesso do encontro, o evento tornou-se anual, ganhando novos objetivos, e atraindo milhares de pessoas. Acontecendo há 58 anos, ininterruptamente, a CONCAFRAS-PSE não tem sede definitiva. Trata-se de uma caravana de amor e fraternidade, integrando o Movimento Espírita na Pátria do Evangelho. Sua sede alterna-se anualmente, conforme a instituição espírita que a organiza. Acontece sempre no período de Carnaval, contrapondo-se às trevas do momento mais triste do nosso país, quando muitos crimes são cometidos sob efeito de drogas, álcool, entre outros.

A CONCAFRAS-PSE é considera um dos maiores encontros de voluntários espíritas do planeta, por atrair multidões interessadas em participar de um evento que consegue congregar pessoas de todas as idades, pela sua característica de simplicidade e alegria.

Em 2013, a CONCAFRAS deu um importante passo para tornar-se um evento internacional, no mês de julho na cidade de Tegucigalpa (Honduras) onde foi realizada a 1.ª CONCAFRAS mundial, que reuniu representantes de mais de 40 países.

Cuiabá já recebeu três vezes a Concafras: em 1986, 1994, e em 2002. E mais três vezes no Estado de Mato-Grosso: Rondonópolis, Barra do Garças e Campo Verde, totalizando com Cuiabá, seis ao todo.

Segundo Márcio Monteiro, presidente da CONCAFRAS 2014 Cuiabá, “é uma honra receber a CONCAFRAS pela sétima vez em Mato Grosso, já que o saudoso Nympho de Paula, o fundador desse evento, era mato-grossense da cidade de Poconé. Além disso, há anos que o encontro não reunia tantos caravaneiros em uma única cidade: seis mil pessoas. Nós, cuiabanos e mato-grossenses temos que nos esforçar ao máximo para recebermos tantos irmãos de outras terras de forma calorosa e fraterna. Como a Concafras por onde passa deixa um rastro de luz, de esperança e consolação, é mais do que nosso dever doar a todos os que estarão conosco o que temos de melhor”, concluiu Monteiro.

Responder

comment-avatar

*

*