Estudante mato-grossense cria tijolo de papel, em defesa do meio ambiente

O acadêmico de administração Albanir oliveira da silva, de Campo Verde, a cerca de 150 km de Cuiabá (MT), criou um produto que pode fazer muita diferença na construção civil e contribuir com o futuro da humanidade: um tijolo.

É isso mesmo. O jovem estudante produziu um tijolo tendo como matéria prima apenas papel e água.
A idéia surgiu quando ele teve que criar um produto sustentável, atendendo um dos módulos do seu curso. Como Albanir trabalha numa granja em Campo Verde, logo teve a idéia de utilizar as cartelas de ovos.
“Eu vi aquela grande quantidade de cartelas indo para o lixo e achei que poderia produzir algo com esse material”, relata com simplicidade.
Determinado, Albanir juntou um quantidade de cartelas e misturou com água. Em seguida colocou a massa numa forma de madeira e prensou para retirar o excesso de umidade. Depois retirou o bloco da forma e colocou pra secar no sol.
Para sua alegria, o material endureceu. Estava criado o tijolo de papel.
Albanir fez algumas peças, colocou numa sacola de plástico e levou para a faculdade. Ao apresentar o seu “trabalho”, provocou surpresa entre colegas e professores. O tijolo de papel foi um sucesso.
Entusiasmado, Albanir decidiu patentear o produto e investir na sua criação. Inclusive engenheiros que trabalham na construção da Arena Pantanal já estão estudando o produto para ver se há a possibilidade de utilizá-lo na obra.
Naturalmente que o tijolo de papel não deve ser usado para a edificação de paredes de sustentação. Segundo Albanir, o tijolo poderá ser a base para a construção de divisórias e também na decoração de interiores e como elemento vazado.
Ele ainda está criando um suporte de acrílico e alumínio para secar o tijolo mais rapidamente no sol. Além de usar somente material reciclável na produção do tijolo, ele observa que reutiliza várias vezes a água da mistura, porque a cada prensada, a massa libera líquido.
“A idéia tem sido bem recebida e por isso estou estudando novos formatos do tijolo e estudando maneiras de melhorar a sua qualidade”, avisa o estudante.

sandracarvalhocuiaba com Redação CN

Responder

comment-avatar

*

*