Estudantes de Querencia recebe prêmio na 10ª Febrace

Os dois projetos escolares desenvolvidos na rede pública de Mato Grosso ganharam destaque na 10ª Feira Brasileira de Ciências e Engenharia (Febrace), realizada entre os dias 13 e 15 de março na Escola Politécnica da Universidade de São Paulo (USP), em São Paulo. Os trabalhos que representaram o Estado na maior feira de Ciências e Engenharia do País foram premiados em três categorias.

A estudante Jennifer Teodoro, foi a única da Febrace a receber um prêmio internacional de jovem cientista. O prêmio ‘Student Awards for Geoscience Excellence’ foi concedido pela ‘Association for Women Geoscientists’, organização norte-americana fundada em 1977 para, além de incentivar a participação das mulheres nas geociências, aumentar o crescimento profissional, o avanço e a participação feminina nessa área do conhecimento. Jennifer Teodoro faz parte de um grupo de 300 estudantes da Escola Estadual Porfíria Paula de Campos, em Várzea Grande, que desenvolveu o trabalho ‘Estudando as mudanças climáticas através de uma mini estação meteorológica para proteger o planeta’. Esse projeto, que foi exposto na Feira Brasileira de Ciências e Engenharia, monitora o clima no bairro onde está localizada a escola, através de uma mini estação metereológica, também chamada de torre.

Outro trabalho escolar que representou Mato Grosso e também foi premiado no evento foi a ‘A quina no tratamento dos esporões calcâneos’. Por ser considerado de grande relevância social, o projeto recebeu da organização da Feira o ‘Prêmio Professor Destaque’ entregue a Egon Weber, orientador do trabalho. Criado na Escola Estadual Querência, pelo aluno Guilherme Weber, o projeto foi o único em 325 trabalhos a receber o ‘Prêmio Editora Segmento’. Esse premiado trabalho escolar apresentou a quina (Monees Ledgeriana Cinchona), planta típica da fauna brasileira, como um poderoso antiinflamatório eficaz no tratamento do esporão calcâneo, corpo estranho que deriva de uma inflamação na fascia plantar (sola do pé) e quando não tratada evolui para um esporão.

Segundo a superintendente de Desenvolvimento Científico, Tecnológico e Inovação da Secitec, Bernadete Ribeiro, os dois projetos escolares participaram em outubro passado da 8ª Semana Nacional de Ciência e Tecnologia, evento realizado anualmente pela Secretaria de Estado de Ciência e Tecnologia (Secitec). “Os prêmios não só demonstram a capacidade e o potencial dos jovens estudantes mato-grossenses, como também apresentaram características inovadoras que podem contribuir em um futuro próximo para o desenvolvimento do País”, comemora a superintendente.

Febrace

A Feira Brasileira de Ciências e Engenharia (Febrace) é promovida anualmente pelo Laboratório de Sistemas Integráveis (LSI) da Escola Politécnica da Universidade de São Paulo (Poli/USP). Em sua 10ª edição, reuniu 325 projetos desenvolvidos por 748 jovens talentos oriundos de escolas públicas e privadas de ensino fundamental (8ª e 9ª anos), médio e técnico de todas as regiões do país. Os projetos, a exemplo das edições anteriores, ofereceram soluções alternativas – muitas vezes inovadoras – para problemas da sociedade. Os projetos deste ano foram selecionados entre 1.505 trabalhos, submetidos diretamente pelos autores e por meio das 54 feiras de ciências afiliadas.

assessoria

Responder

comment-avatar

*

*