Ex-vereador foi assassinado ao cobrar dívida de gado em Mato Grosso

Homem que devia ao ex-vereador contratou um rapaz para matá-lo.
Suspeitos dizem que empresário estaria armado e alegam legítima defesa.

Ex-vereador Evandro Luis Argenton foi assassinado no dia 23 de junho. (Foto: Divulgação)

O ex-vereador e empresário Evandro Luis Argenton, de 36 anos, encontrado morto na carroceria da caminhonete dele no último dia 24, foi assassinado ao cobrar uma dívida de venda de gado, em Arenápolis, a 259 km de Cuiabá. De acordo com a Polícia Civil, um filho de fazendeiro que devia gado a Evandro teria armado uma situação e contratado uma pessoa para assassiná-lo. Os dois suspeitos foram presos no sábado (27) e na segunda-feira (29).

Segundo a polícia, Evandro tinha desaparecido no dia 23 de junho ao informar para a família que iria tratar de negócios. Ele teria ido cobrar o pagamento de uma dívida de três meses a esse filho de um fazendeiro da região. O corpo dele foi encontrado na carroceria do veículo dele, abandonado em uma ribanceira de uma estrada vicinal em Nova Olímpia, a 207 km de Cuiabá.

Pelas investigações da Polícia Civil, descobriu-se que a caminhonete de Evandro ficou parada a manhã toda – no dia do desaparecimento – na sede da fazenda do suspeito. As indicações do rastreador do veículo e os depoimentos dos dois suspeitos não eram condizentes. Um homem de 30 anos, filho de um fazendeiro, é apontado como mentor do crime. Um amigo dele, de 25 anos, é indicado pela polícia como ‘pistoleiro’ e autor dos disparos.

“Esse rapaz devia 127 cabeças de gados ao Evandro e ligou para ele dizendo que iria fazer pagamento e o chamou na fazenda. Os dois suspeitos alegaram que estavam conversando com Evandro e ele dizia que queria receber, estaria exaltado. No entanto, apesar de chamá-lo até o local, o rapaz alegou que ele não poderia retirar o gado”, relatou ao G1 o delegado Carlos Frederico Regis de Campos.

Ex-vereador Evandro Luis Argenton estava desaparecido e foi encontrado morto. (Foto: Gilvan Melo/Rádio Pioneira)Ex-vereador Evandro Luis Argenton estava desaparecido e foi encontrado morto. (Foto: Gilvan Melo/Rádio Pioneira)

Conforme o delegado, os dos suspeitos disseram que Evandro passou a xingá-los e teria colocado a mão na cintura, indicando que poderia pegar uma arma. “O suspeito pensou que ele estava armado e atirou no Evandro. Ele levou cinco tiros: um na nuca, outro na mão, dois no peito e outro no quadril. Após disparar na vítima eles carregaram o corpo e jogaram na caçamba. Alegaram que agiram em legítima defesa, mas confessaram o crime”, informou o delegado. O local onde o veículo foi abandonado com o corpo da vítima fica a 80 km da fazenda do suspeito.

Apesar de alegarem que o ex-vereador estaria armado, os policiais não conseguiram encontrar a suposta arma. Um dos suspeitos disse que jogou a arma em um matagal. “Ao que tudo indica a motivação do crime foi essa dívida que o suspeito não teria honrado. Também descobrimos que o fazendeiro comprou uma motocicleta e deu para o suspeito [que atirou em Evandro]. Provavelmente isso seria um pagamento [por cometer o assassinato]”, disse Carlos Frederico.

Corpo de ex-vereador estava na carroceria da caminhonete dele em uma ribanceira. (Foto: Gilvan Melo/Rádio Pioneira)Corpo de ex-vereador estava na carroceria da caminhonete dele em uma ribanceira. (Foto: Gilvan Melo/Rádio Pioneira)

Tanto o filho do fazendeiro como o pistoleiro foram indiciados por homicídio qualificado e ocultação de cadáver. O delegado informou que deve fazer a reconstituição do crime, ainda sem data definida. O exame de necropsia, que pode indicar à polícia como Evandro foi baleado, deve ficar pronto até esta quinta-feira (2). O inquérito tem previsão de ser concluído na semana que vem.

Os dois suspeitos foram encaminhados para a Cadeia Pública de Arenápolis. G1.MT

Responder

comment-avatar

*

*