Exército apreende 11 toneladas de explosivos durante operação em MT

Mais de 11 toneladas de explosivos foram apreendidas na cidade de Itiquira, a 359 km de Cuiabá, durante uma operação do Exército brasileiro que tem como objetivo combater o tráfico de entorpecentes e de armas, o contrabando e carros roubados, entre outros crimes.

Os cerca de 11,6 mil quilos de explosivos foram encontrados dentro de um caminhão que transportava a carga até a empresa sem nenhuma autorização. De acordo com o comandante do 18° Grupo de Artilharia do exército brasileiro, tenente coronel, Halley de Farias Oliveira, a apreensão ocorreu na última segunda-feira (6), mas só foi divulgada nesta quinta-feira (9).

Conforme o coronel, as equipes foram até a empresa, onde foi feito um Auto de Infração. No total, foram apreendidos cerca de 3.855 Kg de dinamite, 7.725 Kg de nitrato de amônia, 8.900 m de cordel detonante, 210 unidades de Estopim e 32 unidades de espoleta retardo.

Segundo o tenente coronel, a carga apreendida estava sendo transporta para uma pedreira que fica em Itiquira.Segundo ele, a empresa responsável não tinha o armazenamento padrão exigido pela normatização do exército brasileiro. “O local não tinha a segurança necessária e a carga seria armazenada de forma irregular”, relatou ao G1.

O militar ressaltou que essa carga estava sendo monitoria e que a empresa já tinha sido notificada. “A carga vai ficar separada em um container lacrado pelo exército até que a empresa apresente a documentação necessária e faça as devidas reparações de segurança no local”, informou o comandante Halley.

Operação Ágata 5
De acordo com o exército brasileiro, a Operação Ágata 5 foi deflagrada em estados que possuem fronteira com a Bolívia, Paraguai, Argentina e Uruguai com intuito de combater o tráfico de entorpecentes e de armas, o contrabando e carros roubados, entre outros crimes. Cerca de 17 mil militares participam da operação, que se estende pelos estados do Rio Grande do Sul, de Santa Catarina, do Paraná e de Mato Grosso e Mato Grosso do Sul.

(Foto: Divulgação / Exército’)

Responder

comment-avatar

*

*