Focos de calor aumentam 35% em Mato Grosso neste ano

Período proibitivo de queimadas começa nesta terça-feira (15) no estado.
Em Cuiabá, força-tarefa irá atuar na prevenção de focos de incêndio.

Multa pode chegar a R$ 1 mil por hectare queimada (Foto: Marcos Landim / TVCA )

Começa nesta terça-feira (15) o período proibitivo para queimadas em Mato Grosso e segue até o dia 15 de setembro deste ano. Durante esses dois meses, o uso de fogo para limpeza ou manejo de pastagens está proibido em virtude do tempo seco. Para este ano, a fiscalização será intensificada.

“Ao detectarmos um foco de calor, a fiscalização fará a identificação dos locais de queimadas com os devidos procedimentos administrativos e sanções penais”, afirmou o secretário de Estado do Meio Ambiente, José Lacerda.

A multa para quem descumprir a determinação vai de R$ 1 mil por hectare em áreas abertas e pode chegar a até R$ 5 mil por hectare em áreas de conservação. As denúncias podem ser feitas através do telefone 193 do Corpo de Bombeiros.

Segundo o major Ramon Barbosa, secretário executivo do comitê de gestão do fogo em Mato Grosso, de janeiro a julho deste ano o número de focos de calor aumentou 35% em relação ao mesmo período do ano passado. “Isso está dentro da média e faz com que a gente tenha a preocupação de atuar constantemente no serviço”, disse. Ele ainda pontua que os três municípios com maior incidência de calor no estado são respectivamente Nova Querência, Guarantã do Norte e Tangará da Serra.

Ramon comentou que o comitê está atuando de forma ágil aos chamados e que as brigadas de incêndio que vão estar a postos para qualquer emergência. “Além da situação que nós já tínhamos, hoje o estado conta com aeronaves apropriadas para atender esse tipo de situação, bem como as viaturas próprias para isso”, destaca.

Em Cuiabá, uma força-tarefa montada pela Defesa Civil e pela Secretaria Municipal de Serviços Urbanos deverá combater os focos de incêndio urbanos durante o período de seca deste ano. O calor e a baixa umidade relativa do ar propiciam a geração de queimadas urbanas, geralmente em terrenos baldios. Além dos lotes, margens de pistas e rodovias frequentemente são afetadas por focos de queimadas.

Por isso, a força-tarefa tem caráter preventivo contra essas duas situações. Enquanto uma equipe da Defesa Civil organiza o trabalho de aceiros às margens de pistas, fiscais do município já estão notificando proprietários de terrenos baldios para que providenciam a limpeza das áreas. G1.MT

Responder

comment-avatar

*

*