Gari é denunciado por estupro, homicídio e ocultação de cadáver

O gari Jeverson Aparecido da Cruz foi denunciado pelo Ministério Público Estadual pelo estupro de vulnerável, assassinato e ocultação de cadáver da estudante Kimbili Retiéli Freitas Sales, de 9 anos. A menina foi morta em 22 de março, mas seu corpo somente foi encontrado, 72 horas depois abandonado em um lixão da cidade de Paranatinga (a 255 km de Cuiabá).

A menina foi sequestrada em sua casa, no bairro Colina Verde, onde acontecia um churrasco pelo gari Jeverson, que é reincidente em ações criminosas contra crianças. Ele já havia sido condenado por estuprar uma criança de seis anos na cidade de Várzea Grande. Ele foi condenado a sete anos de prisão, mas estava em liberdade desde o dia 7 de dezembro de 2012, mesmo contra parecer do Ministério Público Estadual (MPE). Jeverson está detido na penitenciária Major Eldo Sá, a unidade é popularmente conhecida como ‘Mata Grande’, em Rondonópolis.

Horas após ser preso, revoltados com a brutalidade do crime, os moradores da cidade foram para porta da cadeia pública no intento de conseguir retirar o preso e linchá-lo em seguida. Um dos portões da unidade prisional chegou a ser danificado por conta da ação. Por medida de segurança, ele foi remanejado para outro município.

Para dar continuidade aos procedimentos legais do processo, o juiz substituto Alcindo Peres da Rosa encaminhou ofício à Delegacia de Paranatinga para que encaminhe com urgência os laudos do local do crime, de conjunção carnal e de necropsia.  PATRÍCIA NEVES/ OLHAR DIRETO   Foto Paranatinga News

Responder

comment-avatar

*

*