Gerente de banco é preso em MT e polícia evita golpe de R$ 20 milhões

Policiais da Delegacia de Repressão a Roubos e Furtos de Várzea Grande prenderam dez pessoas suspeitas de tentar aplicar um golpe em uma agência do Bradesco. Eles pretendiam desviar cerca de R$ 20 milhões. O esquema, segundo as informações policiais, era conhecido como “D Mais Zero”, por meio do qual seria feito o pagamento de duplicatas, autorizado por um auxiliar da gerência.

O dinheiro iria para outro banco e deste para outra conta, uma espécie de “triangulação”. Entre os presos pelo crime de estelionato está o próprio gerente do banco que, segundo a polícia, fazia parte do esquema. Outro preso é apontado como um dos possíveis “cabeças” do esquema.

A prisão da quadrilha ocorreu, ontem, durante operação desencadeada na terça-feira (6), pela Polícia Civil. Segundo o delegado Francisco Kunzie Júnior, titular da Derrf de Várzea Grande, o gerente tinha autorização para pagar duplicata no valor de R$ 250 mil.

Com isso, o esquema previa o pagamento de até quatro de uma vez. Como o espaço de tempo para esse pagamento especial é curto no horário bancário, seriam feitas vários pagamentos de somas milionárias.

O banco só perceberia o golpe durante a madrugada, durante a compensação dos cheques e não teria mais retorno porque a conta que teve a transferência destinada já estava vazia, pois o dinheiro já estava numa terceira conta. “Descobrimos a ação criminosa a tempo. Além do gerente, prendemos o mentor do golpe e outros oito participantes, sendo que quatro seriam apenas coadjuvantes e outros quatro, as “estrelas” dessa organização criminosa”, disse Francisco Kunze.

Durante a operação, dois acusados foram presos na agência do Bradesco, quatro em um hotel e os demais, num posto de combustível, onde estavam em vários automóveis -Hilux, Golf, entre outros. Com os suspeitos, foram apreendidas centenas de duplicatas. “Como se trata de um golpe envolvendo transferência de valores, eles não estavam com dinheiro em espécie”, observou o delegado, que autuou todos em flagrante.

Segundo ele, essa modalidade de golpe ainda é nova em Mato Grosso e é aplicada com frequência no Estado do Paraná. Só Noticia

Responder

comment-avatar

*

*