Golpista usava documentos falsos para efetuar compras no comércio de Rondonópolis

Assessoria/PJC-MT

Um homem acusado de aplicar golpes no comércio de Rondonópolis (212 km ao Sul) com uso de documentos falsos foi preso pela Delegacia Especializada de Roubos e Furtos (Derf), com apoio da Delegacia Especializada de Defesa da Mulher, na tarde quinta-feira (03.04). A Polícia Civil prendeu o estelionatário, José Mário da Silva, 37, em uma loja de venda de móveis e eletrodomésticos, no centro da cidade.

O golpista iria comprar produtos usando uma identidade falsa, em nome de uma pessoa moradora de Cuiabá,  e com sua foto no documento. De acordo com o delegado Claudinei Lopes, o estelionatário utiliza de diversos documentos falsos como RG, CNH, comprovantes de residências fraudados e até documentos de aposentados da Previdência Social, em nomes de cinco pessoas diferentes, as quais ele se fazia passar para fazer cadastros nas lojas.

O delegado informou que em Rondonópolis o preso comprou produtos em lojas de revenda de móveis e materiais para construção. “Após as compras concretizadas ele revendia as mercadorias com preços abaixo do mercado, para conseguir dinheiro rapidamente”, disse o delegado.

Ao ser preso, os policiais encontraram com o suspeito, além do RG de Cuiabá, cópias dos documentos falsos. “As pessoas que tiveram seus nomes usados nas fraudes também são vítimas, pois não tinham conhecimento de tais atos”, explicou.

Na casa de José Mário também foram apreendidos produtos comprados de forma fraudulenta como  mangueiras e cadeiras.

 O golpista foi autuado por tentativa de estelionato e uso de documento falso. Ele também será indiciado por outras compras fraudulentas ao final do inquérito policial. O delegado orienta que as vítimas formalizem os registros de boletim de ocorrência com as constatações dos prejuízos patrimoniais, para que o suspeito possa ser responsabilizado nos estelionatos continuados praticados.

 O suspeito foi encaminhado à Cadeia Pública de Rondonópolis. Ele também responder processo em Rondonópolis pelo crime de violação de direito autoral, venda de produtos pirateados.

Responder

comment-avatar

*

*