Governador apela para que professores retornem ao trabalho e lembra que concedeu mais de 25% de ganho real em três anos

O prejuízo para aproximadamente 480 mil estudantes da rede estadual será irreversível caso a greve dos profissionais do ensino público não seja encerrada nesta semana. A projeção partiu do governador Silval Barbosa (PMDB), durante visita às obras da Arena do Pantanal, na manhã desta segunda-feira (30/09), ao lembrar que já concedeu 25,84% de reajuste acima da inflação nos últimos três anos e dir

“Eu não tenho dúvidas de que os professores mato-grossenses dispõem da melhor proposta do Brasil. Em 11 estados, não houve sequer a reposição da inflação”, observa ele. “Em Mato Grosso, pagamos o quarto maior piso salarial para 30 horas semanas, enquanto outros pagam para 40 horas. Nosso governo concedeu quase 26% de ganho real, acima da inflação, para a categoria”, pontua ele.

Os professores estão em greve há mais de dois meses, causando prejuízos a cerca de 480 mil alunos em todos os municípios de Mato Grosso.

“Por conta disso, conclamo os professores para que retornem às salas de aula e continuaremos a conversar”, justifica o governador. Ele afirma que o objetivo agora é salvar o ano letivo e reduzir ao máximo o prejuízo dos alunos.
Silval acredita possuir argumentos suficientes para convencer os profissionais do ensino público a voltar ao trabalho. “A Seduc possui 36 mil servidores. E, de 2010 para cá, demos 49,4% de aumento salarial, sendo 25,89% de ganho real, obedecendo uma média de 12,36% ao ano”, enumera Barbosa.

O governador lembra que o último reajuste foi de 10,41% para a classe, além da inflação do período. Por isso, segundo ele, a folha de pagamento da Seduc já consome R$ 282 milhões. “Ou seja, 92% do Orçamento comprometido e é impossível conceder qualquer reajuste, atualmente. Se o governo der o que estão pedindo, vai aumentar em 100% a atual folha de pagamento”, completa Silval.

A diretoria do Sindicato dos Trabalhadores do Ensino Público de Mato grosso (Sintep) não quis antecipar uma resposta ao apelo de Silval, sob o argumento de que somente a assembléia geral pode encerrar – ou não – a greve.igir um apelo para que os professores retornem às salas de aula. Olhar Direto

Responder

comment-avatar

*

*